Maior desafio da Rio+20 será obter consenso sobre propostas finais, diz ministra

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 27 de março de 2012 as 08:57, por: cdb

A ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, afirmou nesta terça-feira que o principal desafio da Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável (Rio+20) será chegar a um consenso sobre as decisões a serem adotadas pelos países ao final do evento. “Como as resoluções da ONU precisam se dar por consenso, penso que vamos ter muito trabalho ao analisar as cerca de 170 páginas do Zero Draft [Rascunho Zero]”, disse a ministra, em seminário na Câmara.

O Zero Draft é um documento com sugestões e contribuições de países, grupos regionais, organizações internacionais e da sociedade civil que servirá de base para os debates da Rio+20. A ministra afirmou que a questão climática está entre os temas que não podem deixar de fazer parte da pauta da conferência, que ocorrerá em junho, no Rio de Janeiro.

Já o chefe da Divisão de Meio Ambiente do Ministério das Relações Exteriores, ministro Paulino Franco, destacou o que o Itamaraty vem realizando uma série de reuniões preparatórias com o objetivo de receber sugestões da sociedade civil de temas para serem debatidos na conferência.

Sustentabilidade
O representante da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) no Brasil, o moçambicano Hélder Muteia, disse que é preciso repensar urgentemente a forma de desenvolvimento utilizada pela grande maioria dos países. Ele defendeu um novo modelo de desenvolvimento que incorpore o conceito de sustentabilidade.

“Além da escassez de água, da destruição das florestas e da expansão demográfica, precisamos lidar hoje com a fome e a pobreza”, afirmou. Muteia destacou que, atualmente, 1 bilhão de pessoas passam fome no mundo.

Para o representante da FAO, é necessário responsabilizar os agricultores pelas consequências de sua atividade. “A agricultura ocupa 30% das terras do planeta, utiliza cerca de 60% dos recursos naturais da Terra, dos quais 70% da água doce do mundo”, disse.

As declarações foram feitas na abertura do 6º e último ciclo de palestras e debates preparatórios para a Conferência Rio+20, promovido pela Frente Parlamentar Ambientalista. O evento ocorre no auditório Nereu Ramos.

Desde 2011, a frente já realizou seminários regionais abordando os temas: biomas (Manaus), recursos hídricos (Cuiabá), meio ambiente urbano (São Paulo), energia (Recife) e segurança alimentar (Porto Alegre).

Tempo real:08:11 – Ministra do Meio Ambiente debate economia sustentávelReportagem – Murilo Souza
Edição – Pierre Triboli