Magoadas, gêmeas do nado vão para circo

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 12 de janeiro de 2005 as 19:06, por: cdb

A desilusão com a arbitragem das competições internacionais, além da boa proposta de trabalho, fizeram com que as irmãs Isabela e Carolina de Moraes trocassem as competições do nado sincronizado pelas apresentações artísticas do circo canadense Cirque du Soleil. Na próxima semana, as gêmeas vão para Montreal, no Canadá, para iniciar nova carreira.

“Nossa coreografia está pronta”, revelou Isabela. As gêmeas ficarão se preparando por dois meses e meio em Montreal para iniciar as apresentações aquáticas do Cirque du Soleil em Las Vegas, nos Estados Unidos. “A Fernanda Monteiro, que é brasileira, faz parte do grupo e treinamos juntas no Brasil”, contou Isabela.

Vários fatores contaram para essa mudança, revelou Isabela. “Recebemos o convite do Cirque em 2003. Sempre quisemos nos dedicar a esse lado artístico e a parte financeira é interessante, mas queríamos Olimpíada”, explicou a atleta, lembrando que os Jogos de Atenas, no ano passado, foram decisivos nessa vida nova. “De todo o nado sincronizado só não vamos sentir falta das notas. Aliás, a gente tem uma mágoa em relação a isso.”

Afinal, as gêmeas ainda não se conformam com o 12º lugar conquistado na Olimpíada de Atenas. Segundo Isabela, não foram poucas as pesssoas que apontaram um resultado injusto para o dueto brasileiro nos Jogos. “Treinar, treinar e as coisas não acontecerem desanima”, lamentou.

Coincidentemente, a técnica russa Tatiana Pokroviskaya, que foi campeã olímpica com a equipe de seu país nos Jogos de Atenas, corroborou a opinião de Isabela, nesta quarta-feira, ao desembarcar no Rio de Janeiro para um intercâmbio no Brasil. Segundo ela, a dupla brasileira merecia a medalha de bronze na última Olimpíada.

Mas um retorno das gêmeas ao nado sincronizado não é impossível. “Talvez para o Pan de 2007 ou a Olimpíada de 2008” admitiu Isabela.

“Vejo o pedido de dispensa de Carolina e Isabela como um até breve”, declarou a supervisora técnica da Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA), Sônia Hercowitz.