Magistrados criticam análise da Justiça Eleitoral

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 15 de novembro de 2006 as 22:10, por: cdb

A maioria dos juízes brasileiros considera “ruim” o exame das contas dos partidos políticos e dos candidatos feito pela Justiça Eleitoral. É o que revela uma pesquisa da Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB) com quase 3 mil juízes, 25% dos associados. O índice dos entrevistados que consideram “ruim” o exame das contas é de 55%. Segundo a pesquisa, apenas 12,7% dos entrevistados avaliam como “muito bom” esse trabalho da Justiça Eleitoral.

– É uma autocrítica muito pertinente. Seria muito ruim que os juízes vivessem em um mundo de fantasia, achando que as prestações de contas das campanhas eleitorais do Brasil são boas – comentou o presidente da AMB, Rodrigo Collaço.

Além disso, 42,2% dos entrevistados consideram “ruim” a repressão da Justiça Eleitoral aos abusos do poder político ou econômico nas campanhas, sendo que 17,7% avaliam como “muito boa”. A pesquisa mostra ainda que 64,1% dos entrevistados são “totalmente favoráveis” à atualização da tipificação dos crimes eleitorais e 65,7% dos magistrados têm a mesma opinião
sobre a limitação dos custos das campanhas eleitorais.

A maioria dos entrevistados (53,8%) disse ser também “totalmente favorável” à vedação da possibilidade de reeleição para o mesmo cargo no Poder Executivo. Além disso, 46,9% são “totalmente favoráveis” ao voto facultativo no país. Com relação à adoção do financiamento público exclusivo das campanhas eleitorais, os entrevistados têm opinião dividida: 26,9% são “contrários” e 22,2% “favoráveis”.

A pesquisa foi coordenada pela cientista política da Universidade de São Paulo (USP) Maria Tereza Sadek e será discutida durante o 19º Congresso Brasileiro de Magistrados, que começa nesta quarta-feira e vai até o próximo sábado, em Curitiba.