Mãe de Pedrinho fala da emoção de passar o Dia das Mães com o filho

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 10 de maio de 2003 as 11:34, por: cdb

Uma mensagem de esperança para as mães cujos filhos desapareceram ou estão distantes devido ao envolvimento com o crime ou com drogas foi o recado de Lia Tapajós, a mãe do Pedrinho, neste sábado, em entrevista ao programa Revista Brasil, da Rádio Nacional. Lia lembrou que muitas famílias vivem dramas parecidos com o seu e do marido Jairo Tapajós, cujo filho foi seqüestrado há 17 anos, na maternidade de um hospital em Brasília, poucas horas depois do parto.

Domingo será o primeiro Dia das Mães que Lia passará com Pedrinho, depois de tê-lo reencontrado no ano passado. Ela disse que o melhor presente que poderá ter nesse dia será a visita do filho, além de um beijo e um abraço apertado dele, que, na verdade chama-se Osvaldo, nome dado pela mãe Vilma Martins, a seqüestradora do menino. Lia relatou a sensação que sentiu, no último fim de semana, quando recebeu a visita do adolescente, ao ouvir do filho que ele sentia saudades suas. “Esse reconhecimento já é um presente”, contou.

A mãe de Pedrinho enviou uma mensagem especial a um casal jovem de Santos que, há dois anos, passou por drama idêntico ao seu. “Ela (a mãe) me perguntou quando nos encontramos, há pouco tempo, como seria o reencontro com o filho e eu a aconselhei que ela sempre se fizesse essa pergunta e que isso daria esperanças desse dia chegar”, afirmou. Lia disse ainda que o reencontro com o filho a fez ter a sensação de que todos os problemas são menores.

– Não gostaria de usar um chavão, mas é o que traduz o meu sentimento. Quero dizer às muitas famílias que passam pelo que passei que por pior que seja o anoitecer, haverá sempre um amanhecer para renovar as esperanças. Acreditem em Deus – aconselhou.