Mãe abandona bebê com necessidades especiais em hospital de Juiz de Fora

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012 as 16:49, por: cdb

Da Redação

Uma criança de apenas dois meses de vida teve que ficar sob os cuidados do Hospital João Penido, no bairro Grama, na madrugada desta segunda-feira, 27 de fevereiro, após sua mãe deixar o local e o seu pai ser preso pela Polícia Militar (PM). O Conselho Tutelar Leste foi acionado e a criança está aos cuidados da avó, embora ainda internada.

De acordo com o boletim de ocorrência da PM, o pai, de 33 anos, relatou que sua companheira, 34 anos, negou-se a amamentar a criança, portadora de necessidades especiais, e deixou o hospital. Durante o registro da ocorrência, os policiais constaram que havia mandado de prisão em aberto para o pai da criança, que acabou preso.

Número de crianças abandonadas, em JF, é considerado altoCampanha busca combater a violação dos Direitos Humanos de crianças e adolescentes

Os policiais registraram a ocorrência como abandono de incapaz, o que foi contestado pela conselheira Maria de Lourdes Martins. Segundo ela, como o pai acompanhava a criança, o fato não pode ser caracterizado como abandono. “O que houve foi uma falha do hospital, que não entrou em contato com a avó. Pela manhã, falei com ela, que foi lá imediatamente. O número do telefone dela estava na ficha da criança”, destacou a conselheira. Ainda de acordo com Maria de Lourdes, a avó poderá ficar com a guarda da criança, caso o pai permaneça preso e a mãe não apareça.

De acordo com o diretor do Hospital João Penido, Márcio Itaboray, à noite não existe serviço de assistência social no hospital. Diante da situação, a plantonista que fez o atendimento tomou a decisão de acionar a PM ao perceber que a criança estava sozinha. Segundo Itaboray, “o mais importante é que a criança está passando bem.” Ela continua internada na UTI pediátrica.