Madri fecha fronteira com Gibraltar

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 3 de novembro de 2003 as 16:32, por: cdb

O governo espanhol decidiu nesta segunda-feira fechar a sua fronteira com o Gibraltar, poucos minutos antes da chegada no porto de “Aurora”, o navio britânico com a bordo mais de 550 passageiros atingidos por um vírus estomacal.

A iniciativa das autoridades espanholas causou um grande protesto das autoridades locais.

O premier José Maria Aznar convidou a ministra da Saúde, Ana Pastor, para controlar a situação. Pastor já anunciou que “não existe nenhum perigo até agora para a saúde pública”.

Segundo o governo espanhol, o fechamento da fronteira com Gibraltar, único acesso terrestre ao território britânico, é uma simples medida preventiva, na espera de estabelecer qual a situação epidemiológica a bordo do Aurora e quais as medidas tomará o governo de Gibraltar para afrontar o caso.

Por sua vez, o ministro principal de Gibraltar, Peter Caruana, denunciou o fechamento da fronteira definindo como “uma interferência flagrante no direito a livre circulação da qual gozam os cidadãos da União Européia e uma medida injustificada e desmedida”, solicitando ao governo de Londres que intervenha para superar a crise.

Segundo um comunicado das autoridades de Gibraltar, a situação sanitária a bordo do Aurora está sob controle, a epidemia viral superou a sua fase ativa e apenas 18 passageiros do navio ainda estão doentes, sobre os 559 que foram atingidos pelo vírus.

Por sua vez, o ministro do Exterior britânico Jack Straw acusou duramente hoje que a decisão do governo da Espanha, e disse que “a decisão de fechar a fronteira espanhola com Gibraltar não era necessária e até é desproporcionada. Os passageiros que embarcaram na colônia britânica não apresentam nenhum perigo para a população deste país”, declarou Straw.

O Aurora, de propriedade da companhia britânica P&O Cruises, partiu do porto inglês de Southampton com 1900 passageiros a bordo, e a descida de seus passageiros foi proibida nos portos de Dubrovnik, na Croácia, e em Veneza, por causa da situação sanitária.

Cerca de 500 pessoas esperavam ainda esta manhã em frente aos portões fechados da fronteira entre o Gibraltar e a Espanha, esperando que o fechamento anunciado por Madri, e válido em principio por 24 horas, fosse suspensa.