Maconha apreendida na Rocinha será queimada no forno da CSN

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 30 de dezembro de 2010 as 13:08, por: cdb
Como de praxe, a droga será queimada no forno da CSN (Companhia Siderúrgica Nacional), em Volta Redonda.
Como de praxe, a droga será queimada no forno da CSN (Companhia Siderúrgica Nacional), em Volta Redonda.

Em sua primeira operação sob o comando do tenente-coronel Wilman René Gonçalves Alonso, de 42 anos, que assumiu o comando da tropa especial da PM do Rio nesta terça-feira, o BOPE – Batalhão de Operações Especiais – aprendeu duas toneladas de maconha durante operação que ainda está sendo realizada na manhã desta quarta-feira na Favela da Rocinha, em São Conrado, Zona Sul da capital.

A droga estava escondida em um barraco no alto da favela, na localidade conhecida como Laboriaux, e um homem foi preso no local com um rádio-transmissor. Antes, os policiais já tinham apreendido uma moto e prendido três homens na operação em que o objetivo é encontrar drogas e armas nesta que é considerada uma das favelas mais violentas do Rio. Os policiais estão sendo apoiados por um Caveirão e ainda utilizam um ônibus iraelense equipado com câmeras para mapear as ruas e vielas da favela.

Encravada na Zona Sul da cidade, a Rocinha tem como seu principal chefe e comandante da venda de drogas na região Antonio Francisco Bonfim Lopes, o Nem da Rocinha, um dos homens mais procurados pela polícia fluminense.

O comandante Wilman René Gonçalves Alonso disse nesta quarta-feira que a operação é de rotina e não tem a intenção de tomar o território como foi feito nos complexos do Alemão e da Penha.

Como de praxe, a droga será queimada no forno da CSN (Companhia Siderúrgica Nacional), em Volta Redonda.