Má campanha abre crise no Flamengo

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 31 de janeiro de 2005 as 12:15, por: cdb

Os maus resultados neste início de temporada estão abrindo chance para uma crise no Flamengo. O próprio presidente MárcioBragam, que usa o discurso de não intromissão nas ações do futebol, já está dando os primeiros sinais de insatisfação com a campanha do time e iniciou a fase de cobranças dos homens que dirigem o futebol.

– Tem que falar com quem escolheu o treinador. O presidente não vai tirar ou colocar ninguém no cargo. O time está precisando de duas ou três contratações ou não irá para frente. O vice-presidente que está lá tem função de um presidente na sua área –  disse o cartola, vivivelmente contrariado.

O início de crise gez com que o clube voltasse suas baterias para mais uma tentativa de contratar Roger. A diretoria abriu linha direta com Portugal neste fim de domingo com a finalidade de anunciar o reforço nesta segunda, data limite das inscrições do futebol europeu. Além disso, o Flamengo já tem o atacante Alessandro, ex-Fluminense, incluído na negociação de Ibson.

Mas o nome mais importante ainda é o de Roger, ainda mais agora que o Benfica tem interesse em incluir mais um estrangeiro no elenco, o que obrigaria a se desfazer de Roger. A negociação é complicada porque Roger não abre mão de receber US$ 100 mil. Com isso, os portugueses teriam que pagar parte dos salários.

A diretoria flamenguista esperava contato de dirigentes portugueses até a madrugada. Se o sonho virar pesadelo de novo, o Flamengo vai usar o fechamento do mercado europeu como estratégia e, assim, abre-se um leque de opções. A tendência é que as pedidas salariais sejam reduzidas, que jogadores que atuem no Brasil fiquem por mais uma temporada e atletas não aproveitados na Europa resolvam voltar.

Por enquanto, certo mesmo é a chegada do atacante Alessandro, ex-Fluminense. Na venda de Ibson ao Grupo Gestifute, por 2 milhões de euros, o jogador foi cedido por empréstimo de seis meses ao Flamengo. O objetivo da diretoria é ter direito a indenização em uma futura transferência, motivo que vem adiando o anúncio do reforço.