Lula e Duhalde discutem rumos do Mercosul

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 14 de janeiro de 2003 as 14:56, por: cdb

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva manteve, nesta terça-feira, em Brasília, o primeiro encontro oficial com o presidente da Argentina, Eduardo Duhalde, com o objetivo de discutir os rumos do Mercosul para este ano.

Para receber pela primeira vez um chefe de Estado em visita oficial ao Brasil desde sua posse, Lula aguardou Duhalde no alto da rampa do Palácio do Planalto e cumprimentou o colega com um aperto de mão e um abraço.

Durante o encontro, que durou cerca de uma hora, os dois chefes de Estado conversaram sobre o fortalecimento do Mercosul, além da união aduaneira, a melhoria do fluxo comercial na zona de livre comércio e da criação de um parlamento do Mercosul.

Em pronunciamento, Lula adiantou que os ministros do Brasil e da Argentina vão se reunir de forma mais constante.

Lula reafirmou que o Mercosul tem de ser estimulado. “O Mercosul precisa ser praticamente reconstruído”, frisou.

“Duhalde tem a mesma convicção de que precisamos recuperar o tempo perdido. Vamos fazer um esforço ainda maior para que o Mercosul volte a ganhar credibilidade junto ao nosso povo, aos empresários, ao movimento social e nos meios políticos”, disse Lula.

O presidente brasileiro disse que, daqui por diante, Brasil e Argentina vão recuperar o tempo perdido e unir esforços para que o Mercosul volte a ter credibilidade no âmbito dos países que o integram (Brasil, Argentina, Uruguai e Paraguai), no exterior e junto ao empresariado, e balizando suas preocupações com o social e com o dialogo politico.

Eduardo Duhalde, por sua vez, reafirmou o compromisso da Argentina de apoiar a criação de um parlamento do Mercosul, proposta feita pelo presidente brasileiro.

Duhalde enfatizou a necessidade do Mercosul desenvolver políticas sociais conjuntas que beneficiem os países que o integram, uma medida que, no futuro, poderá ser estendida aos demais países da America Latina.

Duhalde e Lula também têm como objetivo coordenar políticas contra a pobreza que atinge os dois países.

O presidente argentino veio ao Brasil acompanhado do chanceler Carlos Ruckauf e dos ministros da Economia, Roberto Lavagna, e da Produção, Aníbal Fernández.

Também integram a comitiva o chefe de gabinete, Alfredo Atanasof, e os secretários de Energia, Enrique Devoto; da Indústria, Dante Sica; da Agricultura, Gado e Pesca, Haroldo Levet; da Ciência e Tecnologia, Julio Luna, e o titular do Serviço Nacional de Saúde Alimentar (Senasa), Bernardo Cané.

Do lado brasileiro participaram do encontro o ministro-chefe da Casa Civil, José Dirceu, os ministros das Relações Exteriores, Celso Amorim, de Minas e Enérgia, Dilma Rousseff, da Fazenda, Antônio Palocci, do Desenvolvimento Indústria e Comércio Exterior, Luiz Fernando Furlan, de Ciência e Tecnologia, Roberto Amaral, e da Cultura, Gilberto Gil, além dos secretários nacional da Pesca, José Fritsch, de Comunicação de Governo, Luiz Gushiken, do controlador geral da União, Waldir Pires, e do presidente da Petrobras, José Eduardo Dutra.

Após a reunião, Lula ofereceu um almoço à delegação argentina.