Lula é coordenador político de si mesmo

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 22 de novembro de 2006 as 11:50, por: cdb

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva passou a coordenar, pessoalmente, a montagem de uma base de apoio parlamentar ao mandato de quatro anos que se inicia a partir do dia 1º de janeiro do ano que vem. Ele convidou para o almoço integrantes da executiva do PMDB, no Palácio do Planalto e, em seguida, reuniu-se com políticos do PTB. Os dois partidos devem fazer parte da bancada do próximo governo no Congresso Nacional. Para esta quinta-feira, segundo a assessoria da da Secretaria de Relações Institucionais, está marcado almoço dos governadores da base aliada com o presidente da República. O encontro foi organizado pelo governador eleito da Bahia, Jaques Wagner.

Dos cinco membros da executiva do PMDB que se encontraram com o presidente Lula, três apoiaram o tucano Geraldo Alckmin nas eleições presidenciais de outubro. O encontro marca o apoio do partido ao governo. Além do presidente do PMDB, Michel Temer, os deputados Moreira Franco (RJ) e Tadeu Filipelli (DF) fazem parte do grupo de ex-alckmistas da direção executiva do PMDB que se encontra com Lula. Temer chamou também o deputado Henrique Eduardo Alves (RN) e o ex-governador paulista Orestes Quércia, que foram aliados do presidente na reeleição.

– O sentimento majoritário no partido é favorável à coalizão e, mesmo tendo posições pessoais diversas, tenho de expressar a posição do partido – disse Temer a jornalistas na noite desta terça-feira.

Será o primeiro encontro de Temer com Lula desde julho do ano passado, quando o peemedebista recusou uma proposta de adesão institucional do PMDB ao governo. Ele levará uma carta de apoio à coalizão assinada pelos governadores Luiz Henrique (SC), Roberto Requião (PR), ambos reeleitos, e André Puccinelli (MS), eleito em outubro. Lula já tem o apoio dos governadores Sérgio Cabral (RJ), Paulo Hartung (ES), Eduardo Braga (AM) e Marcelo Miranda (TO).

Um grupo de seis senadores (um terço da bancada do PMDB) decidiu adotar posição de independência: Mão Santa (PI), Almeida Lima (SE), Garibaldi Alves (RN), Geraldo Mesquita (AC) e os recém-eleitos Joaquim Roriz (DF) e Jarbas Vasconcelos (PE). Segundo Temer, o grupo não se opõe à coalizão com o governo e votará a favor de “todas as medidas de interesse do país”, sem se alinhar com a oposição. Dois deles estarão representados na reunião com Lula: Roriz é padrinho político de Tadeu Filipelli e Garibaldi é primo e aliado de Henrique Eduardo Alves.