Lula e Bush acertam Alca para 2005

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 21 de junho de 2003 as 07:48, por: cdb

Lula se comprometeu com o presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, a concluir as negociações para a criação da Área de Livre Comércio das Américas (Alca) até janeiro de 2005. Ou seja, dentro do prazo previsto, mesmo com todos os impasses envolvidos. Entre eles na área agrícola e em compras governamentais.

Segundo o ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, os dois chefes de Estado concordaram sobre a necessidade de liberalização comercial para que ambos os países possam se desenvolver, com o fim das barreiras comerciais.

– Não foi um encontro para fazer negociações, os temas da Alca foram apenas mencionados de maneira geral. Mas os dois países têm muita importância na Alca – ressaltou o ministro.

O Brasil não deseja ter sua economia “massacrada” pelos países desenvolvidos com o fim das barreiras comerciais. Durante o encontro com Bush, Lula enfatizou a necessidade dos países desenvolvidos olharem com carinho para as economias menos valorizadas.

– Cabe ao país que seja grande, que tenha a economia mais forte, ter generosidade no trato com parceiros mais frágeis. Disse ao Bush que a gente ganha isso numa luta de boxe: o boxeador que nocauteia o outro é que tem que ter a humildade de abraçar o que está caído. Na relação política é a mesma coisa: aqueles que são mais fortes na economia, que tem mais força política, é que precisam ter generosidade com os mais frágeis, para que todos tenham oportunidade – afirmou o presidente.

Lula também voltou a defender na Casa Branca a maior integração física do continente americano como forma de promover o desenvolvimento da região.

– Até porque quanto mais crescer a economia brasileira, a economia argentina, da Venezuela, mais consumidores teremos não só para nossos produtos, mas também de outros países – defendeu Lula.

Ele disse ainda que o Brasil não vai mais manter a postura de esperar outros países o procurarem para negociações. “Não temos que esperar que alguém nos procure. Nós vamos procurar”, enfatizou.

A intenção do presidente é firmar parcerias com países como a Índia, China e a própria América do Sul. Lula destacou o convite recebido para participar na semana que vem na Colômbia da reunião de países do Pacto Andino. Pela primeira vez na história, segundo ele, os países andinos vão abrir as portas para a presença de um presidente estrangeiro.