Lula diz no Uruguai que adversários ‘tentam fazer golpismo’

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 9 de dezembro de 2005 as 16:20, por: cdb

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta sexta-feira, em Montevidéu, no Uruguai, que seus adversários no Brasil estão agindo da mesma maneira que a oposição na Venezuela costuma agir contra o presidente venezuelano, Hugo Chávez.

– Tem alguns que ficam dizendo que eu, quando vou fazer um ato público, ajo como se fosse o Chávez. E, eu digo sempre, eu não estou agindo como o Chávez. Agora, os meus adversários estão agindo como agiu a Fedecámaras contra o Chávez. Ou seja, tentando fazer golpismo –  disse o presidente, pouco depois de deixar a reunião de cúpula do Mercosul.

As afirmações reforçam o que o presidente havia dito em entrevista publicada na edição desta semana da revista Carta Capital. Na entrevista, Lula também comparou a atuação da oposição na crise política do Brasil ao comportamento da Fedécamaras (entidade de empresários antichavistas que faz oposição ao presidente venezuelano).

Antes de deixar o Uruguai, Lula também defendeu a conduta da Coteminas, empresa do vice-presidente da República, José Alencar, que recebeu dinheiro do caixa 2 do PT como pagamento por uma dívida com o partido.

– Eu queria aproveitar e fazer justiça não apenas ao José Alencar, mas a Coteminas. A Coteminas fez um acordo comercial com o PT, vendeu camisetas. E não caberia à Coteminas querer saber quem é que deu dinheiro para o PT pagar –  disse o presidente.

– O PT deve, tem que pagar e a Coteminas fez o que tinha que ser feito. Foi atrás para receber em uma negociação comercial totalmente normal em qualquer lugar do mundo. Agora, qual é a anormalidade? É que o PT ainda não pagou a Coteminas –  concluiu o presidente.