Lula destaca importância do Bolsa Família para construção da cidadania

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 2 de fevereiro de 2005 as 20:36, por: cdb

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva destacou hoje, em Guarulhos, a importância do programa Bolsa Família para a construção da cidadania. Lula participou da entrega de 5 mil cartões deste programa de transferência de renda na cidade. Ontem, foram entregues 5 mil cartões. Com isso, eleva-se para 28 mil o número de famílias beneficiadas, cerca de 80% da população pobre de Guarulhos, município da Grande São Paulo.

– Investir em política social, hoje, é permitir que a gente não tenha que construir cadeia amanhã. Investir na nossa criança, hoje, é permitir que essa criança não se transforme num delinqüente amanhã –  afirmou o presidente. Participaram da cerimônia a primeira-dama Marisa Letícia e os ministros do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Patrus Ananias, das Cidades, Olívio Dutra, e da Saúde, Humberto Costa.

Lula enfatizou que o Bolsa Família se propõe a ser mais do que apenas um programa de transferência de renda. Com as contrapartidas exigidas, o programa pretende “educar” a família. “Além de dar o dinheiro, educa a pessoa, porque levar o filho para a escola, fazer a vacinação na molecada, na verdade, são benefícios a mais que nós estamos incentivando essa pessoa a ter”, disse o presidente. “O que nós estamos dando é uma isca para a pessoa colocar no anzol e pegar um grande peixe, porque o desejo é que todo mundo, depois, saiba pescar”, explicou.

Ao longo do dia, as milhares de mães convocadas pela Caixa Econômica Federal, compareceram ao Ginásio Municipal Poliesportivo Paschoal Thomeu, para retirar seu cartão. Chefes de famílias com renda per capita abaixo de R$ 100, como prevê o programa, elas se diferenciam pela situação que vivem, como constatou a reportagem da Agência Brasil: casadas, divorciadas que vivem de pensão do ex-marido, diaristas, subempregadas ou desempregadas. Algumas nunca haviam recebido qualquer benefício do gênero e a maioria falou em usar os recursos – em média, R$ 80 mensais – para investir na educação dos filhos.

É o caso da dona-de-casa Teresa de Jesus Ramos. Ela e o marido vivem de trabalhos esporádicos e os recursos do Bolsa Família serão utilizados para facilitar os estudos da filha de 10 anos, que está na quarta série do ensino fundamental. “O que eu mais quero é que ela seja alguém na vida”, afirmou Teresa, logo após a retirada do tão esperado cartão. “Facilita pelo menos para pagar o material dela, né?”, disse a dona-de-casa.

A doméstica Marlene Estevão da Silva também pretende utilizar o dinheiro recebido mensalmente com os dois filhos em idade escolar – uma menina de 7 e um menino de 12 anos. Marlene e o marido estão desempregados. “Este dinheiro chega na hora certa. Minha filha vai entrar na escola agora e vou comprar roupinha e sapatinho para ela, que está precisando muito”, contou Marlene.

Os recursos do Bolsa Família também serão importantes para os quatro filhos da dona-de-casa Quitéria Maria dos Santos. “Vai ajudar em muita coisa.Vai dar para comprar roupa, calçado, material da escola”, afirmou Quitéria.

Já Maria Benedita da Silva, de 37 anos, trabalha como diarista e recebe um salário mínimo de pensão do ex-marido. Ela disse que o benefício vai ajudá-la a equilibrar o orçamento, pois o que recebe não é suficiente para sustentar a casa e os dois filhos, de 9 e de 4 anos. Maria Benedita contou que está estudando e que isso vai ajudá-la também. “É o primeiro benefício que eu recebo do governo. Acho que é importante, ajuda bastante quem tem uma situação assim igual à minha. Se não precisasse, eu não pegaria, deixaria para quem precisa mais. Eu estou estudando e quem sabe não vou precisar mais, né?”, concluiu.