Lula desembarca em São Tomé

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado domingo, 2 de novembro de 2003 as 09:36, por: cdb

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva chegou na manhã deste domingo a São Tomé, ilha de 800 metros quadrados que é a capital do arquipélago de São Tomé e Príncipe, para a primeira etapa de sua viagem de uma semana ao sul da África.

A visita ao pequeno arquipélago de menos de 150 mil habitantes no oeste da costa africana vai durar poucas horas. À tarde, Lula segue para Luanda, capital de Angola.

O primeiro compromisso do presidente em São Tomé é a inauguração da embaixada brasileira no país, criada em março e em funcionamento desde junho.

“Essa visita é muito importante estrategicamente para o Brasil. É o único país da CPLP (Comunidade de Países de Língua Portuguesa) onde ainda não tínhamos embaixada”, disse o embaixador brasileiro, Paulo Dyrceu Pinheiro.

Convocação

É a primeira visita de um presidente brasileiro desde a independência de Portugal, em 1975, e está sendo aguardada com muita expectativa pelo governo e a população.

Uma nota no jornal local O Semanário convocou os são-tomenses a comparecer em massa ao aeroporto para saudar o presidente brasileiro.

Lula e o presidente de São Tomé e Príncipe, Fradique Bandeira Melo de Menezes, devem assinar oito acordos de cooperação entre os dois países.

Um deles estabelece a colaboração da Agência Nacional do Petróleo (ANP) com o governo local para a elaboração da legislação para exploração de petróleo no país, descoberto há pouco tempo e ainda não explorado.

Social

Existe uma grande expectativa em relação à exploração de petróleo, que pode mudar a situação econômica do país, um dos menores e mais pobres do continente.

O presidente Fradique de Menezes sofreu uma tentativa de golpe em julho, mas voltou ao poder uma semana depois.

Os presidentes vão assinar ainda acordos de cooperação com projetos como Bolsa Escola, agricultura familiar, alfabetização solidária, educação e esportes. Lula também vai fazer a entrega simbólica de um lote de 2.592 livros doados pelo Ministério da Cultura a São Tomé.

Lula chega à África acompanhado de oito ministros e dois secretários.

Integram a comitiva os ministros das Relações Exteriores, Celso Amorim, da Educação, Christovam Buarque, da Cultura, Gilberto Gil, do Trabalho, Jaques Wagner, da Ação Social, Benedita da Silva, da Saúde, Humberto Costa, da Ciência e Tecnologia, Roberto Amaral, dos Esportes, Agnello Queiroz, e da Segurança Alimentar, José Graziano, além dos secretários da Pesca, José Fritsch e da Igualdade Racial, Matilde Ribeiro.

Curiosamente, vários desses ministros estão entre os mais cotados para ser substituídos numa reforma ministerial.

Por outro lado, nenhum dos ministros do chamado “núcleo duro” do poder  ministro-chefe da Casa Civil, José Dirceu, e ministro da Fazenda, Antonio Palocci – acompanha o presidente na viagem à África.

O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio, Luiz Fernando Furlan, se encontra com o presidente em Angola, a segunda etapa da viagem, para onde vai com um grupo de empresários brasileiros interessados em fazer negócios com o continente.

Participam ainda da comitiva o senador Marcelo Crivela (PL-RJ), Vicente Paulo da Silva, o Vicentinho (PT-SP), Luis Alberto (PT-BA), Reginaldo Germano (PFL-BA) e Edmar Moreira (PL-MG).

Em 2004, Lula deve voltar a São Tomé e Príncipe para a reunião de cúpula da Comissão de Países de Língua Portuguesa (CPLP).