Lula defende Dilma

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 11 de janeiro de 2005 as 19:50, por: cdb

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva defendeu hoje a ministra das Minas e Energia, Dilma Roussef, que tem dedicado os últimos dias a dar explicações sobre os três apagões ocorridos em menos de um mês. Apesar das últimas e recorrentes dificuldades de falta de energia, Lula assegurou: “Nós não voltaremos a ter apagão.”

Em seguida, ele disse que Dilma “não precisa explicar muito” sobre os ocorridos porque a população entende que agora sobra energia, o que não acontecia no governo passado.

“A Dilma está tendo, nesta semana, de explicar a diferença entre apagão e incidente, entre apagão… não precisa explicar muito não, Dilma”, afirmou. “Não precisa explicar muito não porque o povo sabe que houve um tempo em que faltou energia porque estávamos com a nossa capacidade de oferta de energia superada pela demanda e, hoje, o povo sabe que nós já temos mais energia do que a demanda, temos uma reserva e vamos produzir muito mais energia, porque, sem energia, a gente não consegue provocar nenhum investidor estrangeiro ou brasileiro a acreditar no investimento do País.”

Nos últimos dias, houve apagões que atingiram o Rio, Espírito Santo e Minas Gerais, apesar de Lula relembrar, repetidamente, no discursos que recuperou o setor que não recebeu investimentos na gestão do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. No primeiro problema, a ministra de Minas e Energia afirmou que, em hipótese alguma, haveria interrupção no fornecimento de eletricidade novamente, pelo espaço de tempo que houve na ocasião – cerca de uma hora.

Hoje, no discurso na cerimônia de inauguração de um complexo hidrelétrico no Rio Grande do Sul, Dilma reconheceu que não existe sistema que “não esteja sujeito a falhas” e classificou as últimas falhas como “conjunturais” e “episódicas”.

O presidente lembrou ainda que a atual administração federal aprovou “regras claras, juntamente com todos os segmentos da área, que hoje estão consolidadas em novo marco regulatório para o setor”.

Segundo Lula, o Poder Executivo tem empenhado-se em realizar uma gestão planejada e eficiente que tem racionalizado o uso da capacidade instalada e definido os rumos da maior geração de energia no Brasil.

“Tenham certeza de que vamos ter a energia necessária para sustentar o nosso desenvolvimento”, disse, acrescentando que “o governo está totalmente engajado no esforço indispensável para ampliar os investimentos na infra-estrutura energética brasileira”.