Lula defende abertura do mercado para países pobres

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 28 de janeiro de 2005 as 15:52, por: cdb

O presidente Lula defendeu, nesta quinta-feira, no Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíca, a retirada dos subsídios agrícolas concedidos pelos países ricos a produtores e empresários locais.
– É preciso estabelecer políticas que dêem condições aos países pobres de vender e produzir produtos agrícolas. Esta é uma questão estrutural – alertou o presidente, que participa da sessão especial intitulada “Financiado a Guerra contra a Pobreza”. “

– Eu penso que nós estamos começando um novo século, e é preciso pensar no que aconteceu no século passado, para saber se vamos fazer as mesmas coisas. No século passado, a distância entre os países pobres e os ricos aumentou. Quem era rico ficou mais rico, quem era pobre ficou mais pobre – afirmou Lula.

O presidente lembrou o avanço que representou o compromisso firmado por líderes de vários países, em setembro do ano passado, em Nova Iorque, na Assembléia Geral das Nações Unidas (ONU). De acordo com o presidente, naquela ocasião foi proposta a criação de um fundo formado a partir da taxação das transações com armas.

– Poderia ser sobre transações comerciais, dinheiro dos paraísos fiscais, uma coisa que fosse substancialmente forte, dirigida aos países pobres – sugeriu Lula.

– O nome do fundo não importa, importa que a gente assuma o compromisso, que o dinheiro que circula no mundo, uma parcela pequena constitua um grande fundo para que a gente possa sonhar com um mundo, daqui a 20 ou 30 anos, mais justo – afirmou.