Lula apóia, discretamente, luta de Dirceu para segurar o mandato

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado domingo, 27 de novembro de 2005 as 23:13, por: cdb

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva comentou com interlocutores, neste domingo na Granja do Torto, em tom satisfeito, que está impressionado com o poder de sobrevivência do “companheiro Zé Dirceu”, o deputado federal petista José Dirceu, de São Paulo, que está prestes a perder o mandato no Plenário da Câmara, acusado de chefiar o esquema do “mensalão”. Lula, realmente, não acredita que houve esquema de compra de votos na Câmara, mas considera um erro do PT o uso do caixa dois.

Ex-todo-poderoso ministro-chefe da Casa Civil, Dirceu tem-se mostrado ativo na tentativa de adiar a votação do processo que poderá torná-lo inelegível por oito anos. Nos últimos dias, ele e um exército de colaboradores, em todo o país, têm mantido contatos com os mais diversos segmentos políticos do Congresso e já conta com a promessa de setores à esquerda e à direita do PT para votar a favor de sua permanência na Casa.

– Tudo o que ele precisaria era de mais umas três semanas para virar o placar em seu favor – respondeu a Lula um dos interlocutores na conversa amena, no fim de tarde da capital federal.

Segmentos influentes no Judiciário e com trânsito junto ao Superior Tribunal Federal (STF) compartilham do raciocínio político de setores cada vez mais amplos do Congresso, mas ainda permanecem séticos quanto à possibilidade de o ex-ministro sair ileso das denúncias que constam do relatório aprovado no Conselho de Ética da Câmara. Embora prefira o anonimato, um desembargador e catedrático de Direito Penal em uma universidade pública do Rio de Janeiro, especialista em rito processual, avalia que ainda pode haver alguma chance para Dirceu no campo jurídico.

– O Dirceu é, sem nenhuma dúvida, um articulador de alto nível, mas tem contra ele um peso muito grande, que é justamente o depoimento da presidente do Banco Rural, Kátia Rabello. Justamente o texto que poderá ser suprimido do relatório, a prevalecer as teses em debate no STF. Embora o voto do ministro Cezar Peluso seja pela votação do processo na próxima quarta-feira, a supressão do depoimento de Kátia Rabello parece já ser um consenso junto aos ministro, o que poderá deixar a caminhada de Dirceu mais fácil, seja para o cadafalso ou para a manutenção de seus direitos políticos – disse o jurista.