Lula: “A reforma agrária não sai no grito”

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 2 de abril de 2004 as 14:13, por: cdb

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta sexta-feira, em discurso na cidade de Três Lagoas (MS), que a reforma agrária “não será feita no grito, mas dentro da lei”.

– A reforma agrária não vai ser feita no grito: nem no grito dos trabalhadores, nem dos que são contra ela – disse.

O presidente também garantiu que terminará seu governo com a promessa cumprida de assentar 400 mil famílias de trabalhadores rurais. Lula participou nesta manhã da solenidade de inauguração da Usina Termelétrica de Três Lagoas. O presidente também assinou autorização para o início das obras da Ferrovia do Pantanal.

Durante encontro com senadores, nesta quinta-feira, um dos líderes do Movimentos dos Trabalhadores Sem Terra (MST) João Pedro Stedile afirmou que foi mal interpretado pela expressão “infernizar”, em discurso para incitar militantes do movimento a promoverem uma onda de invasões de propriedades em abril.

– Falei em um sentido de entusiasmo: vou infernizar. E fui mal interpretado. De fato foi uma palavra infeliz. O sentido real foi: vamos pressionar, azucrinar. Peço desculpas pela palavra errada – disse ele, na reunião da CPI da Terra.

Stédile afirmou ainda que “na verdade quis dizer que era para todos os movimentos que participarão do 1º de Maio recuperarem suas bandeiras vermelhas e fazerem uma grande mobilização”.