Lugo diz ser contra sanções ao Paraguai

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 27 de junho de 2012 as 17:33, por: cdb

Lugo desistiu de participar das reuniões regionais na Argentina

O presidente destituído do Paraguai Fernando Lugo disse nesta quarta-feira ser contra a aplicação de sanções ao país pelo Mercosul.

“Hoje de manhã me reuni com pequenos agricultores… e não gostaria que os mais esquecidos, os que privilegiamos em nosso governo, também sejam prejudicados por uma sanção econômica”, disse ele à agência de notícias Efe.

Lugo disse ser a favor de que a classe política de seu país receba uma “chamada de atenção” da comunidade internacional.

Os países do Mercosul se reúnem na sexta-feira em Mendoza, na Argentina, para analisar a crise paraguaia. O novo governo paraguaio de Federico Franco foi suspenso desta reunião.

No mesmo dia em Mendoza, representantes da Unasul também discutem a queda de Lugo. O presidente deposto disse ter desistido de ir às reuniões em Mendoza.

Nesta quarta-feira, o secretário geral da ONU, Ban Ki-moon, pediu por uma solução pacífica para a crise no Paraguai.

Os EUA disseram que vão esperar um relatório apresentado pelo secretário geral da Organização dos Estados Americanos, José Miguel Insulza, antes de decidir se reconhecem ou não o novo governo.

Franco

Nesta quarta-feira Franco pediu ao Congresso paraguaio união para melhorar a economia do país, em seu primeiro pronunciamento aos legisladores após assumir o cargo.

“Pedimos que em 2013 não tenhamos aumento nas despesas, nenhum déficit orçamentário.”

Franco disse que o dinheiro economizado permitirá que seu governo “combata a pobreza, a falta de cultura e educação”.

Ele pediu pela aprovação de linhas de crédito internacionais que poderiam injetar cerca de US$ 400 milhões no país.

“Vamos aprovar esses projetos e, para provar nossa legitimidade, mostrar fatos e não palavras”, afirmou.

Lugo foi deposto na semana passada após um processo relâmpago de impeachment.

Ex-bispo da Igreja católica, Lugo assumiu a Presidência em 2008 e seu mandato terminaria em agosto do ano que vem. A 14 meses da posse do sucessor e a nove meses das eleições presidenciais, em abril de 2013, Lugo foi substituído no cargo por seu ex-vice, agora presidente Federico Franco.