Lucro do Unibanco é menor, mas rentabilidade não

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 9 de novembro de 2006 as 12:08, por: cdb

Terceiro maior banco privado do país, o Unibanco lucrou R$ 106,1 milhões no terceiro trimestre do ano, resultado inferior aos R$ 474,8 milhões obtidos em igual período de 2005. O balanço foi impactado por um efeito negativo de amortização de ágios. Segundo comunicado do banco ao mercado, no terceiro trimestre, o Unibanco reduziu o período de amortização de ágio de 10 para 5 anos, incorrendo em impacto de R$ 464 milhões. O banco informou que as receitas com intermediação financeira somaram R$ 4,515 bilhões no trimestre passado, ante R$ 4,045 bilhões no mesmo período de 2005. No final do terceiro trimestre, o banco somava R$ 102 bilhões em ativos totais, crescimento de 15,1% sobre o mesmo período de 2005.

“O crescimento é explicado, principalmente, pela evolução de R$ 6,5 bilhões da carteira de crédito, sobretudo no segmento de cartões de crédito”, informou a instituição financeira, em nota distribuída nesta quarta-feira.

A carteira de crédito apresentou crescimento de 17,5% ao longo dos últimos 12 meses e de 3,3% no trimestre. O saldo de provisões para perdas com créditos somou R$ 2,532 bilhões. Isso representa 5,8% da carteira e marca um incremento ante os 4,9% registrados em setembro de 2005. Ao final do trimestre passado, as operações de crédito classificadas como “AA-C” representavam 93,3% da carteira, frente aos 92,7% verificados um ano antes.

As operações de crédito junto a pessoas físicas atingiram R$ 16,383 bilhões, com crescimento de 13,5% em 12 meses. Já a carteira de crédito para pessoas jurídicas cresceu 20,1% no mesmo período.