Lucro da Telefónica é de US$ 1,4 bilhão

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 19 de novembro de 2001 as 11:58, por: cdb

O Grupo Telefónica obteve lucro líquido consolidado de 1,591 bilhões de euros (US$ 1,41 bilhão) nos nove primeiros meses de 2001, o que corresponde a um crescimento de 7,2% em relação aos resultados obtidos no mesmo período do exercício anterior, de acordo com o balanço divulgado em Madri, sede da empresa.

O EBITDA (resultados antes de juros, impostos, depreciações e amortizações) chegou a 9,641 bilhões de euros, o que representa um crescimento de 8,5% em comparação aos nove primeiros meses do ano 2000, enquanto as receitas consolidadas aumentaram 11,2%, atingindo 23,083 bilhões de euros.

Estes dados, de acordo com a empresa, comprovam a capacidade do Grupo Telefónica de gerar resultados positivos, tanto do ponto de vista da qualidade como do crescimento, mesmo em meio a uma conjuntura desfavorável. Para a direção da operadora espanhola, isto foi possível graças a esforços de gestão dirigidos à contenção dos gastos das atividades operacionais, sendo que se não for levado em conta o impacto negativo das taxas de câmbio na América Latina, o EBITDA consolidado do Grupo teria crescido 13,2%.

O balanço registra também redução de mais de 1,5 bilhões de euros no endividamento consolidado nos três últimos meses do ano, assim como um aumento de mais de 10,5 milhões na base de clientes ao longo dos últimos doze meses. Nos primeiros nove meses de 2001, a base de clientes de telefonia fixa, móvel e televisão a cabo ficou em 71,2 milhões (75,9 milhões de clientes, no total), 10,5 milhões a mais que o número alcançado no mesmo período do exercício de 2000, o que significa um crescimento da ordem de 17,2% no período comparativo de 12 meses. Um dado significativo apresentado no balanço é o crescimento superior a 2,1 milhões de clientes somente no terceiro trimestre do período, tendência que confirma a expectativa de superar a casa dos 100 milhões de clientes até 2004.

Mas, a telefonia celular continua sendo o segmento que mais contribui para a expansão da base de clientes do Grupo, tendo conquistado mais de 6,5 milhões de novos clientes durante os últimos 12 meses. O número de novos clientes de celulares administrados pelo Grupo no último trimestre supera 1,3 milhão, evidenciando o potencial de crescimento orgânico que este negócio ainda oferece.

Merece destaque a diversificação do crescimento da base de clientes por áreas geográficas, o que garante a estabilidade da expansão do maior ativo do Grupo: os seus clientes. Dessa forma, ainda que a América Latina continue sendo a região que contribui com o maior crescimento para o Grupo no terceiro trimestre, com mais de 1,1 milhão de novos clientes (600 mil novos usuários procedentes da Telesp), a contribuição dos negócios na Espanha e na região do Mediterrâneo apresentam desempenho bastante semelhante ao registrado na AL.