Loteria paulista causa desentendimento entre Nossa Caixa e CEF

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 24 de outubro de 2003 as 01:57, por: cdb

Depois de reclamar da exclusividade, assegurada em lei, às instituições federais para uso dos recursos do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT) nos financiamentos destinados à baixa renda, o presidente da Nossa Caixa, Valdery Albuquerque, agora diz estar sofrendo boicote por parte da Caixa.
 
O motivo da discórdia desta vez é a loteria da Cultura, lançada pelo governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, para financiar projetos culturais no Estado, e proibida de ser comercializada na rede de lotéricos da Caixa.

Na última semana, os lotéricos que estavam vendendo o produto receberam uma carta da Caixa proibindo a venda da loteria da Nossa Caixa.
 
Na carta, a Caixa diz que eles ‘somente podem comercializar, intermediar, distribuir e divulgar outra modalidade de sorteio ou loteria, ou quaisquer jogos de azar, ainda que legalmente permitidos, com autorização da Caixa’ e destaca que ‘a venda da Loteria instantânea do Estado de São Paulo (raspadinha da Nossa Caixa), nas unidades lotéricas, não está autorizada’.

Segundo o superintendente Nacional de Loterias da Caixa, Paulo Campos, a decisão de não autorizar novos convênios para a venda de outras loterias criadas pelos governos estaduais foi tomada no ano passado em função de ações que tramitam no Supremo Tribunal Federal (STF).
 
– Existem mais de 9 ações contra a criação de loterias estaduais – afirma.

– O entendimento da Caixa é o mesmo do Ministério Público em que somente a União tem autorização para explorar jogos de azar e o faz por intermédio da Caixa – argumenta.