Lídice da Mata vê perspectivas favoráveis para Brasil enfrentar crise mundial 

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 6 de setembro de 2011 as 16:53, por: cdb

A senadora Lídice da Mata (PSB-BA) apontou, em discurso nesta terça-feira (6), o que chamou de perspectivas favoráveis ao Brasil, que podem levar o país a enfrentar “com muita tranqüilidade” a crise econômica mundial. Ela mencionou estudo recentemente divulgado pelo Instituto de Pesquisas Econômicas Aplicadas (Ipea), Brasil ante a Crise Financeira Internacional, que apresentou dados favoráveis.

Lídice da Mata salientou que a economia brasileira atualmente está em melhores condições do que na ocasião da crise de 2008. Ela assinalou, com base no estudo, que a desaceleração moderada no crescimento da economia, com diminuição da produção industrial, pode permitir espaço de manobra maior para um ajuste nas políticas macroeconômicas que envolva a queda sustentada das taxas de juros internas, já iniciada. O Comitê de Política Monetária (Copom) baixou em meio ponto percentual a taxa de juros Selic, agora de 12%, queda que a senadora espera ver prosseguir.

Para o controle da inflação, acrescentou a senadora, observa-se hoje queda nos preços das commodities, em níveis que já afetam benignamente os preços internos, segundo o que se observa pelo comportamento descendente do IGP-DI, da Fundação Getúlio Vargas. A queda, também influenciada pela apreciação do câmbio, mas devida principalmente à efetiva queda de preços no mercado internacional, também traz certa tranquilidade no tratamento da variável inflacionária doméstica no caso de novo choque, avaliou a parlamentar.

Outro ponto positivo, ressaltou Lídice da Mata, é que o sistema financeiro nacional está funcionando sobre bases bastante sólidas, não sendo razoável prever qualquer obstrução dos canais de crédito. Além disso, elogiou iniciativas públicas como a ação do Banco Central para desestimular os movimentos especulativos no mercado de derivativos. A senadora também observou que as reservas em moeda estrangeira, de R$ 350 bilhões, estão no nível mais alto de toda a história, o que dá mais tranquilidade ao país.

Apesar do cenário estável, registrou a parlamentar, dois pontos de vulnerabilidade são identificados e precisam ser superados, até mesmo com o auxílio do Parlamento. O primeiro é o nível de apreciação do câmbio, provocado pelo afluxo de moeda externa, provocando uma valorização artificial do real e desestimulando a competitividade em vários setores. O outro ponto de vulnerabilidade seria a grande dependência da economia brasileira em relação à exportação de commodities agrominerais.

Da Redação / Agência Senado