Líder do PCC preso no Paraguai com 103 kg de cocaína

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 17 de janeiro de 2005 as 20:51, por: cdb

O traficante Nilton César Antunes Veron, 21 anos, apontado como o principal chefe da facção criminosa que atua nos presídios de São Paulo, o Primeiro Comando da Capital (PCC) em Mato Grosso do Sul, foi preso ontem(16) à noite com 103 quilos de cocaína pura em Pedro Juan Caballero, no Paraguai. Segundo a Secretaria Nacional Antidrogas (Senad) do Paraguai, a droga seria enviada aos Estados Unidos e à Europa.

Veron ocuparia na hierarquia da facção criminosa a mesma posição do preso Marcos Willians Herbas Camacho, o Marcola, apontado como o principal líder do PCC no Estado de São Paulo. Essa é a segunda vez que o narcotraficante, condenado a 28 anos de prisão, é preso naquele país.

A primeira captura ocorreu em 2002, quando foi deportado ao Brasil. Segundo a Senad, o traficante seria do segundo escalão da organização do narcotraficante Luiz Fernando da Costa o Fernandinho Beira-Mar. A droga apreendida – dividida em 100 tabletes – estava em fundos falsos da caminhonete Suzukli Vitara placas CBU-6595, de Campo Grande (MS), recolhida na casa do brasileiro Luís Antônio Souza Alias, 44 anos, o Pica-Pau, por volta das 21h30 de ontem. Outros cinco carros com placas de São Paulo foram recolhidos pela polícia paraguaia. Também foram presos no local os brasileiros Alias e Rosalino Maldonado Arguelho, de 29 anos. O trio foi transferido para a custódia da Senad. A Polícia Federal paraguaia exigiu reforço no policiamento do prédio por suspeita de ameaça de invasão e resgate. Por ser considerado fugitivo no Brasil, o Senad informou que Veron seria deportado imediatamente. Os outros dois deverão responder por tráfico no Paraguai.

Veron é acusado de comandar, em outubro do ano passado, uma das operações mais ousadas já vistas em Ponta Porã, na fronteira com o Paraguai. Oito homens armados de fuzis e pistolas, em dois veículos, renderam os agentes penitenciários e resgataram Hélio e Jean Paul Morinigo – pai e filho condenados a 12 e 8 anos de prisão por tráfico internacional de drogas – da unidade Penal Ricardo Brandão. Veron, fugitivo do mesmo presídio estaria na fronteira para matar o juiz federal Odilon de Oliveira e o governador do Departamento de Amambay (cuja capital é Pedro Juan Caballero), Robert Acevedo. A missão teria sido encomendada pelo traficante Jarves Pavão, que estaria escondido no Paraguai com pedido de extradição e confisco de bens.