Leis contra o fumo salvam vidas, dizem médicos

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 8 de fevereiro de 2005 as 17:11, por: cdb

Um relatório do Centro de Pesquisa de Controle do Tabaco da Associação Médica Britânica descreve o sucesso de leis contra o fumo em diversos países e diz que há fortes provas de que elas ajudam a salvar vidas.

Segundo a Associação Médica da Califórnia, no Estados Unidos, a incidência de câncer de pulmão caiu seis vezes mais rapidamente no Estado do que naqueles que não têm leis de proibição do fumo, desde 1998.

Na Irlanda, a venda de cigarros caiu quase 16% nos primeiros seis meses da proibição, segundo a Organização Médica Irlandesa.

Mas há argumentos contra a proibição.

Fumo passivo

– A idéia de que centenas ou mesmo milhares de pessoas estão morrendo por serem fumantes passivos é um mito baseado em estimativas, cálculos e estatísticas que, por sua vez, são baseados em pesquisa extremamente dúbia – disse Simon Clark, diretor do grupo de lobby de fumantes, Forest.

– A maioria quer que a norma seja de escritórios não-fumantes, mas em pubs, clubes e bares existe apoio claro pela escolha de áreas de fumantes e não-fumantes e melhor ventilação.

No entanto, o presidente da Associação Médica Britânica, James Johnson, disse:

– Poderosos interesses espalham mitos de que leis de proibição do fumo são desnecessárias, dizendo que são inoperantes, impopulares e levarão à ruína econômica.

– Tais previsões são pouco mais do que provocar alarme. As evidências mostram que as leis de proibição do fumo salvam vidas.

Controle em bares

Segundo ele, se o fumo fosse proibido em todos os locais de trabalho na Grã-Bretanha, as multinacionais do tabaco perderiam cerca de 310 milhões de libras (cerca de R$ 1,5 bilhão) em vendas todos os anos.

– Uma proibição ampla de fumar em locais de trabalho e lugares públicos fechados é essencial para proteger a saúde de não-fumantes e estimular os fumantes a abandonar o cigarro – disse Ian Willmore, da organização contra o fumo ASH.

Em seu Livro Branco para a Saúde Pública na Inglaterra, o ministro da Saúde britânico, John Reid, anunciou planos para a proibição parcial do fumo em lugares públicos fechados.

Por exemplo, os pubs que servem comida teriam que aplicar a proibição, mas os outros, não.
A Associação Médica Britânica diz que isso a medida seria insuficiente e destinada ao fracasso.