Lei Murilo Mendes – Livro resgata trajetória artística de Geraldo Santana

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 26 de março de 2012 as 08:50, por: cdb

JUIZ DE FORA – 26/3/2012 – 11:43

Lei Murilo Mendes – Livro resgata trajetória artística de Geraldo Santana

Uma história de simplicidade, de samba e de busca pelo reconhecimento. Assim pode ser resumida a vida de Geraldo Santana, falecido em Juiz de Fora no dia 10 de outubro do ano passado, aos 81 anos. A trajetória do sambista foi recuperada pelo escritor Wanderley Luiz de Oliveira, que lança na próxima quarta-feira, 28, às 20h, no Museu de Crédito Real (Avenida Getúlio Vargas 455 – 3º andar – Centro), a biografia “Geraldo Santana – Sonho, música e realidade”. A publicação é financiada com recursos da Lei Murilo Mendes de Incentivo à Cultura, gerenciada pela Prefeitura de Juiz de Fora, através da Funalfa.

Conforme o autor, as pesquisas sobre Geraldo Santana tiveram como base textos esboçados pelo próprio sambista, recortes de jornais, fotografias, entrevistas gravadas em fitas cassete, DVDs e muita conversa. Wanderley evoca as origens e reminiscências familiares do artista; resgata, com riqueza de detalhes, sua infância, adolescência e maturidade.

A publicação apresenta depoimentos de Nelson Bravo, Saint´Clair Nascimento, Waldir Silva, Altamiro Carrilho e muitos outros que acompanharam a trajetória deste baluarte da música em Juiz de Fora. No prefácio da publicação, o pesquisador de MPB Ricardo Cravo Albin afirma: “Conheci Geraldo nos anos 60, quando ele participava como único representante das Minas Gerais – do concurso de carnaval que eu acabara de criar no Museu da Imagem e do Som (transmitido pela TV Tupi) para melhorar a qualidade do cancioneiro de Momo. Gostei tanto dele e de sua música a ponto de apresentá-lo ao cantor Jorge Veiga, que me prometeu gravar-lhe algumas peças. […] O escritor de Juiz de Fora, Wanderley Oliveira, me dá conta de que finalizou esta biografia do nosso compositor, para, enfim, tirar-lhe das pesadas e injustíssimas brumas do esquecimento. […] Só posso registrar alegria com a existência deste livro. E, mais que isso, muito mais que meus aplausos, exponho um certo alívio. O conforto, na verdade, de ver – embora testemunhando a terrível persistência da desmemória e do desrespeito aos artistas neste país quase sempre injusto – que, aqui e agora, um clarão de resistência se impõe.

Além do livro, Wanderley Oliveira comprometeu-se em resgatar suas músicas e letras, relacioná-las e digitá-las. Assim, suas composições, compiladas e encadernadas, ficarão à disposição dos futuros pesquisadores na Biblioteca Municipal Murilo Mendes e na Divisão de Memória da Funalfa.
Biografia:

Geraldo Santana nasceu em 30 de março de 1930, na Fazenda da Liberdade, próximo a Piau, no distrito de Coronel Pacheco (MG), hoje cidade. Veio para Juiz de Fora ainda menino. Cantor prodígio e ritmista nato, iniciou-se muito cedo no ambiente musical; participou de programas de calouros e festivais de música; fez shows e bailes; cantou em clubes e programas de rádio; tocou e gravou com músicos de sucesso.

Detentor da Carteira da Ordem dos Músicos do Brasil (OMB) nº 1248, é autor de centenas de músicas, algumas gravadas em LPs e CDs; fez jingles; compôs hinos e marchas para os clubes de futebol e a Seleção Brasileira, além de enredos para as escolas de samba de Juiz de Fora; fundou blocos carnavalescos, conjuntos e bandas.

Venceu o programa A Grande Chance, de Flávio Cavalcanti. No Rio, conviveu com grandes nomes da MPB e trabalhou em casas noturnas. No Botafogo F.R., foi encarregado da Sala de Imprensa. Gravou depoimento no Museu da Imagem e do Som de Juiz de Fora. É verbete no Dicionário da MPB, de Ricardo Cravo Albin.

* Informações com a Assessoria de Comunicação da Funalfa, pelos telefones 3690-7044 / 7045.
FUNALFA