Laptops pegam fogo por falha na bateria

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 7 de junho de 2006 as 13:49, por: cdb

Segundo artigo no site Wcco.com, várias ocorrências envolvendo laptops que se incendiaram espontaneamente foram registradas nos últimos meses. O problema teria origem na utilização de baterias importadas pelos fabricantes dos aparelhos, que também vêm falhando em fazer um recall rápido dos produtos problemáticos.

Há um mês, Nick Brown, de onze anos, deixou seu laptop ligado no carpete da sala e foi para outro cômodo. Seus pais estavam em outra sala quando ouviram um som estranho e correram para a sala a tempo de vê-la cheia de fumaça. O calor do laptop, que estava no chão, começou derreter o carpete. Os Brown rapidamente o levaram para fora da casa. Dave Brown, pai do garoto, fotografou o laptop em processo de combustão.

De acordo com a Comissão de Segurança de Produtos de Consumo dos Estados Unidos (CPSC – Consumer Product Safety Commission), 43 incidentes envolvendo incêndios causados por laptops reportados nos últimos dois anos.

Em 2004 e 2005, Apple, Dell e HP juntas fizeram recall de mais de 300 mil baterias de laptops devido a riscos de incêndio. Segundo o consultor de segurança Scott Rynd, o problema está nas baterias de lítio. Elas estariam sendo sobrecarregadas com energia e aquecimento excessivo.

A demanda por notebooks vem crescendo enquanto os preços declinam, e as grandes companhias estariam comprando baterias no Oriente. As companhias não estão divulgando o problema como deveriam, nem recolhendo as baterias problemáticas rápido o suficiente, afirma ele.

A Comissão de segurança recomenda prestar atenção ao manual do fabricante do aparelho. Dicas que valem para qualquer modelo incluem não colocar o laptop sobre material inflamável, prestar atenção à temperatura do dispositivo e, caso ele pareça estar superaquecido, desligá-lo imediatamente.

Computadores não são os únicos dispositivos a usar baterias de íon de lítio. Outros portáteis, como celulares, também usam a tecnologia. Eles também têm sofrido recalls devido a risco de incêndio. No Brasil, entre o final de 2004 e abril deste ano houve pelo menos cinco casos de explosão de celulares da Motorola em São Paulo e um incidente com um aparelho da Nokia em Belém, em 2005.