Ladrão que roubou príncipe Charles é assassinado

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 13 de outubro de 2003 as 11:47, por: cdb

O conhecido ladrão italiano Renato Rinnino foi assassinado em sua casa em Gênova num aparente ajuste de contas. Rinnino, de 41 anos, ficou famoso em 1994 depois de roubar as jóias do herdeiro da coroa britânica, o príncipe Charles.

De acordo com a polícia, ele foi morto ontem no apartamento de sua mãe. Um desconhecido entrou no local e disparou, ferindo seu irmão e assassinando Rinnino com um tiro na nuca. O ladrão cumpria pena em regime de liberdade vigiada por diversos delitos contra a propriedade na Itália.

Façanha

Renato Rinnino foi protagonista de um “roubo histórico”, ao conseguir entrar, no dia 25 de fevereiro de 1994, no palácio de St. James, residência do príncipe Charles. Entre os objetos que roubou estavam cinco jogos de abotoaduras, duas caixas de prata, cinco prendedores de gravata, seis botões de ouro e um relógio.

A autoria do crime foi descoberta em 1998, quando a polícia italiana recuperou os objetos roubados no apartamento de Rinino em Savona (norte da Itália). Ele não pôde ser processado porque o delito já havia prescrito.

Mas o italiano adquiriu grande popularidade ao aparecer em um programa de televisão narrando sua “façanha” em troca de uma substancial quantia de dinheiro. O ladrão explicou que tinha utilizado um andaime que rodeava o palácio de Saint James para chegar até uma janela, através da qual entrou no quarto do príncipe Charles. Rinino contou que ignorava que o edifício fosse a residência do herdeiro da coroa britânica.

A imprensa da época especulou que entre os objetos roubados estavam várias cartas entre Charles e Camila Parker Bowles, as quais teriam sido devolvidas a seu proprietário graças a um “gesto elegante” do ladrão.