Koffi Annan abre procedimento para analisar muro de Israel

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 11 de janeiro de 2005 as 20:56, por: cdb

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas, Kofi Annan, deu início aos procedimentos de registro de reclamações a danos causados pela construção, por parte de Israel, de um muro na divisa com a Cisjordânia, informou a ONU na terça-feira.

O estabelecimento e a operação de registro exigirá a cooperação das autoridades israelenses. Nós aguardamos essa cooperação para facilitar os trabalhos”, informou o porta-voz da ONU, Stephane Dujarric.

Os 191 países da organização aprovaram o registro das reclamações em agosto em uma resolução que pedia a Israel que seguisse uma decisão do Tribunal Internacional de Haia e derrubasse a barreira.

O governo israelense sustenta que a construção é necessária para evitar a ação de homens-bomba. Mas os palestinos vêem o muro como uma forma de tomada de terras, o que ameaça sua esperança de construção de um Estado.

Em 9 de julho, a corte apresentou uma posição de que a barreira era ilegal porque cortava terras da Cisjordânia com o objetivo de proteger assentamentos israelenses erguidos em territórios tomados pelo Estado judeu na guerra de 1967.

A corte internacional é o órgão legal máximo da ONU. Pela decisão, Israel era obrigado a derrubar o muro e a pagar indenizações por quaisquer danos causados durante a construção.

Israel prometeu ignorar a decisão, mas acabou mudando a rota do muro de modo a passar por uma faixa de terra menor da Cisjordânia.

O procedimento registrado pela ONU analisará somente as reclamações, afirmou Dujarric. Os pagamentos seriam deixados a cargo de mecanismos já existentes no Estado de Israel.