Kirchner: dupla vitória

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 15 de setembro de 2003 as 22:30, por: cdb

A reeleição de Aníbal Ibarra para a prefeitura de Buenos Aires representa uma dupla vitória para o presidente argentino Néstor Kirchner. Ao dar o passo audaz de apoiar um candidato de centro-esquerda, mas de origem radical, e se opor a um candidato peronista, abriu um precedente nas filas do seu partido de origem. Ele preferiu uma opção ideológica, para fortalecer seu perfil de centro-esquerda e, ao mesmo tempo, derrotar a direita.

Mas, por trás da candidatura derrotada de Mauricio Macri, estava não apenas Carlos Menem, mas também ex-presidente Eduardo Duhalde. Se Menem procurava aferrar-se a um espaço que lhe escapa sob os pés desde que renunciou ao segundo turno, Duhalde buscava impedir que Kirchner se afirmasse autonomamente, inclusive das estruturas partidárias, em que Duhalde e os outros governadores peronistas mantêm o poder.

A vitória de Ibarra – de origem radical, depois transferido para o debilitado Frepaso, que apoiou a fracassada Presidência de Fernando de la Rúa – garante um aliado seguro para o atual presidente argentino e, ao mesmo tempo, enfraquece as outras duas figuras até aqui de maior destaque no cenário político argentino.

Com a negociação do FMI nos termos que propunha, Kirchner sai fortalecido de uma semana que poderia, ao contrário, ter representado um duro golpe no prestígio de seu governo. Com uma surpreendente trajetória – que inclui novas alfinetadas em Lula, pela falta de apoio ressentida nos momentos tensos de negociação com o FMI -, Kirchner se torna uma referência de liderança política latino-americana, com um sólido apoio atual tanto de opinião pública, como de forças políticas internas.

Emir Sader, professor da Universidade de São Paulo (USP) e da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), é coordenador do Laboratório de Políticas Públicas da Uerj e autor, entre outros, de “A vingança da História” (Boitempo Editorial) e “Século XX – Uma biografia não autorizada” (Editora Fundação Perseu Abramo).