Justiça nega habeas corpus para viúva de ganhador da Mega-Sena

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 14 de fevereiro de 2007 as 16:13, por: cdb

Não foi dessa vez. Os desembargadores da 8ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio negaram nesta quarta-feira o pedido de habeas corpus de Adriana Almeida, viúva do milionário da Mega-Sena Renné Senna, assassinado no último dia 7 de janeiro. Presa desde 30 de janeiro, Adriana é suspeita de ser a mandante do crime.

Os dois outros desembargadores da 8ª Câmara decidiram seguir a recomendação de Maria Raimunda Teixeira de Azevedo, relatora do processo, que no último dia 2 indeferiu pedido de liminar para a soltura de Adriana. Na defesa da viúva, os advogados alegavam que a prisão dela não era necessária, já que boa parte das investigações transcorreu com Adriana em liberdade.

A prisão temporária de Adriana foi decretada pela juíza Renata Gil de Alcântara Videira, titular da 2ª vara Criminal de Rio Bonito, Baixada Litorânea do Rio, onde ocorreu o crime. Além dos fortes indícios de que a viúva seria a mandante do crime, a juíza levou em consideração conversas telefônicas que indicavam que a Adriana estava atrapalhando o andamento da apuração.