Justiça italiana ordena reabertura de inquérito sobre morte de Senna

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 28 de janeiro de 2003 as 15:33, por: cdb

A Suprema Corte de Justiça da Itália ordenou a reabertura do inquérito sobre o tricampeão mundial de Fórmula 1 Ayrton Senna, ocorrida no Grande Prêmio de San Marino, em 1 de maio de 1994.

O piloto brasileiro, que corria pela escuderia Williams, saiu da pista na curva de Tamburello, no autódromo de Imola, e seu carro se chocou com um muro de concreto a 220 kph.

Em 1997, o diretor técnico da Williams Patrick Head e o projetista do carro Adrian Newy foram absolvidos da acusação de homicídio culposo (involuntário).

Mas, em 1999, os dois tiveram que enfrentar a mesma acusação com base no argumento de que seriam os responsáveis pela falha no carro que causou a morte de Senna.

A Promotoria italiana alegou que uma solda mal feita na coluna de direção se rompeu quando o brasileiro iniciou a curva, o que fez com que Senna perdesse o controle de seu carro e batesse no muro.

Depois de um longo processo, Head e Newey foram novamente absolvidos.

Agora, a dupla terá que comparecer à Justiça, depois que o supremo determinou que houve “erros legais” no processo original.

O advogado Roberto Causo, que representa a Williams no caso, procurou minimizar a notícia.

“Isso tem importância em termos de formalidades, mas, na realidade, não muda nada para nós”, disse o defensor, segundo a edição desta terça-feira do diário especializado Gazzetta dello Sport.

“Nós permanecemos tranqüilos – ganhamos os outros dois julgamentos e não vejo por que deveríamos temer uma derrota num terceiro”, acrescentou.

Um complicador em todo o processo é que o carro em que Senna morreu foi destruído depois de ter sido devolvido à Williams pelas autoridades italianas.