Justiça Gaúcha condena um dos acusados de matar comerciante

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 10 de outubro de 2003 as 04:48, por: cdb

O primeiro dos cinco acusados de matar a comerciária Iara Maria Ongaratto, de 22 anos, em Garibaldi, no Rio Grande do Sul, foi condenado na última quinta-feira pela justiça gaúcha.

A morte de Iara Ongaratto é considerada como um dos caso mais impressionantes da história do município. O pedreiro Gilmar Rebelatto, de 27 anos, foi sentenciado a 16 anos de prisão em regime fechado.

A ex-companheira do pedreiro Ilva Pianta, 32 anos, será julgada no dia 30 de outubro. Iara Ongarato foi morta com um tiro na cabeça em setembro de 1995.

Iara foi vista pela última vez no dia 11 de setembro de 1995. Após sair do trabalho desapareceu sem deixar pistas. No dia 9 de outubro, o corpo da jovem foi encontrado nas margens do Rio Taquari, em Santa Bárbara, distrito de São Valentim do Sul, com um tiro na cabeça.

A acusação afirma que Rebelatto e mais quatro pessoas (Ilva Domingas Pianta, Ivanete Moreira, Renato Bolzzoni e Salézio Luiz Ferreira) teriam raptado Iara e mantido a vítima em cativeiro por dias em uma chácara perto do local onde o cadáver foi encontrado. Iara teria sido forçada a participar de uma orgia sexual.