Justiça da Bósnia estabelece indenizações a parentes de vítimas da guerra

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 8 de março de 2003 as 09:00, por: cdb

A Justiça da Bósnia determinou que as autoridades locais paguem indenizações a parentes de vítimas da guerra.

Em uma decisão sem precedentes, os parentes de 49 vítimas do massacre na cidade de Srebenica vão receber 1,8 milhão de euros (cerca de 6,9 milhões de reais).

Os juízes concluíram que as autoridades sérvias na Bósnia não falaram a verdade sobre o massacre e o destino das vítimas e, por isso, desrespeitaram a Convenção Européia dos Direitos Humanos.

Em Julho de 1995, o exército sérvio assassinou cerca de 7 mil muçulmanos na Bósnia. Famílias das vítimas alegaram que as autoridades se negaram a dar informações sobre os mortos.

Caçada ao líder

A decisão judicial ocorre no momento em que a Organização das Nações Unidas inicia uma operação para desmontar a rede que protege o ex-líder sérvio Radovan Karadzic.

A ONU realizou operações nas proximidades da capital da Bósnia, Sarajevo, para desfazer a proteção a Karadzic e a outros acusados de crimes de guerra.

A Justiça obrigou as autoridades sérvias na Bósnia a revelar as informações sobre o massacre de muçulmanos em Srebenica.

As famílias vão repassar o dinheiro das indenizações para uma fundação que vai construir um memorial e um cemitério para as vítimas.

Apuração do massacre

A corte também determinou que as autoridades sérvias iniciem uma significativa, profunda e detalhada investigação sobre as mortes em Srebenica.

A sentença beneficia famílias de 49 pessoas desaparecidas. No entanto, ainda estão pendentes na Justiça os casos de 1700 pessoas, somente em Srebenica.

Analistas acreditam que a decisão judicial pode acelerar o esclarecimento dos fatos ocorridos no maior massacre da Europa desde a 2ª Guerra Mundial.