Júri condena Pimenta Neves, que vai recorrer em liberdade

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 5 de maio de 2006 as 17:11, por: cdb

O juiz Diego Ferreira Mendes, do Fórum de Ibiúna, interior de São Paulo, anunciou na tarde desta sexta-feira a sentença a que jornalista Antonio Pimenta Neves, 69, foi condenado pelo assassinato da ex-namorada, a também jornalista Sandra Gomide. Ele terá que cumprir 19 anos, 2 meses e 12 dias de prisão em regime fechado. O júri, integrado por três homens e quatro mulheres, condenou Pimenta Neves por homicídio duplamente qualificado: motivo torpe e impossibilidade de defesa da vítima. Os jurados também decidiram, por unanimidade, que ele deve recorrer em liberdade. O crime aconteceu no dia 20 de agosto de 2000, em um haras. Sandra Gomide, à época com 32 anos, foi atingida por dois tiros: um nas costas e outro no ouvido.

O advogado de defesa do jornalista alegou que ele agiu sob forte emoção. Pimenta Neves foi denunciado pelo Ministério Público por homicídio doloso com duas qualificadoras (agravantes): motivo torpe (ciúmes) e recurso que impossibilitou a defesa da vítima (tiro pelas costas). O ex-diretor de Redação do jornal O Estado de S.Paulo ficou sete meses preso. Em março de 2001, o STF concedeu uma liminar permitindo a Pimenta Neves aguardar o julgamento em liberdade. Para o STF, ele não representa risco à sociedade.