José Graziano e Tarso Genro discutem Segurança Alimentar

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 24 de janeiro de 2012 as 15:56, por: cdb

José Graziano e Tarso Genro discutem Segurança AlimentarO diretor geral da FAO (Organização das Nações Unidas para Agricultura e alimentação), José Graziano, foi o convidado especial do encontro sobre Segurança Alimentar, promovido nesta terça-feira, 24, pelo Governo do Estado do Rio Grande do Sul, em evento paralelo à programação do Fórum Social Temático 2012. Graziano reafirmou uma das prioridades de seu mandato na FAO: “Precisamos retomar a campanha de erradicação da fome. A questão da água também será central, uma vez que ela se torna cada vez mais escassa”.

Ivan Trindade

Porto Alegre – O diretor geral da FAO (Organização das Nações Unidas para Agricultura e alimentação), José Graziano, foi o convidado especial do encontro sobre Segurança Alimentar, promovido nesta terça-feira, 24, pelo Governo do Estado do Rio Grande do Sul, em evento paralelo à programação do Fórum Social Temático 2012.

Em sua primeira visita ao Brasil após ter sido eleito diretor geral da FAO, Graziano reafirmou as bandeiras que vai empunhar na sua gestão. “Precisamos retomar a campanha de erradicação da fome. A questão da água também será central, uma vez que ela se torna cada vez mais escassa”. Graziano defendeu a necessidade de um órgão internacional com poder de intervenção para atuar em países em situação de risco alimentar: “Um organismo como o conselho de segurança da ONU, com poder de intervenção”, cobrou Graziano.

O diretor apontou as dificuldades que a agência enfrenta, entre elas recursos escassos: “Nosso orçamento é de 1 bilhão de dólares ao ano para atender 1 bilhão de pessoas que passam fome. Uma quantia insuficiente.”

Mesmo assim, Graziano acredita que a FAO passa por um momento de renovação: “Estamos passando por uma recriação da FAO. Estamos refazendo as conexões com os movimentos sociais. O novo marco regulador de um futuro mais justo é a participação popular nas decisões governamentais”.

Graziano considera que imaginar um mundo mais participativo não é sonho: “Utopia é achar que existe desenvolvimento sustentável sem a erradicação da miséria. Por isso o Fórum Social é um momento tão importante, pois ele integra os mais diferentes campos da sociedade civil organizada”. O diretor da FAO citou a crise capitalista que assola EUA e Europa para argumentar a importância de decisões coletivas que não sigam a lógica simples do capitalismo: “A sorte de milhões foi decidida no cassino financeiro de Wall Street”, disse.

Graziano afirmou ainda que o Brasil tem a obrigação de assumir papel de protagonismo no processo de erradicação da pobreza e do desenvolvimento sustentável: “O Brasil vive um novo momento e passou de devedor a credor. Agora ele precisa alterar essa lógica e se tornar parceiro das nações menos desenvolvidas para criar um ambiente de cooperação entre os países”.

Voltando ao tema da crise, Graziano finalizou sua participação no encontro com uma previsão otimista:”As crises são momentos importantes de mudança dos paradigmas para a construção de uma nova lógica nas relações entre países e indivíduos”.

O encontro foi encerrado pelo governador gaúcho, que aproveitou para lançar o Plano Estadual de Cooperativismo Agrícola. Tarso Genro enfatizou a importância da segurança alimentar para o desenvolvimento sustentável: “Qualquer alternativa ao neoliberalismo tem que combater a miséria extrema, na busca do desenvolvimento sustentável. A segurança alimentar é estratégica na montagem desse novo modelo”.

Fotos: Camila Domingues/Palácio Piratini