Joaquin Phoenix faz show em prisão nos EUA

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 4 de janeiro de 2006 as 13:23, por: cdb

Joaquin Phoenix, apontado como candidato ao Oscar pela sua personificação de Johnny Cash no cinema, se apresentou na mesma prisão que foi palco de um lendário show do cantor de música country em 1968. Mais de 50 prisioneiros da penitenciária estadual de Folsom, na Califórnia, puderam assistir ao filme Johnny e June, (Walk the Line), que conta a vida de Cash. Em seguida, os presos puderam assistir ao show de Phoenix, realizado na capela da penitenciária.

Fazendo uma referência à sua parceira no filme, a atriz Reese Witherspoon, Phoenix disse:

– Eu sei que vocês provavelmente prefeririam ver Reese.

Johnny Cash realizou um famoso show no pátio da prisão em janeiro de 1968, que acabou sendo lançado em disco.
Vestindo apenas roupas pretas, no estilo de Cash, Phoenix pediu desculpas pela performance “enferrujada” desta terça-feira, dizendo que não tinha tocado desde o término das filmagens de Johnny e June.

– Não sei se vocês perceberam, mas errei umas quarenta vezes – disse ele.

Um detento perguntou se Phoenix tinha aprendido violão para fazer o filme.

– Johnny (Cash) não era (Jimi) Hendrix, respondeu Phoenix. Foi fácil…nós ensaiamos bastante  – respondeu Phoenix.

Phoenix foi acompanhado pelo músico Shooter Jennings, que interpreta o seu pai, o cantor de música country e amigo de Cash Waylon Jennings, no filme. Depois da exibição do filme, o detento Gary Lopez, que está preso há 11 anos por tentativa de assassinato, disse:

– Sempre fui fã de Johnny Cash. Cresci colhendo algodão no campo…tudo que nós tínhamos era rádio. Só ouvia música country. Durante o filme todo fiquei com um nó na garganta –  disse Lopez, de 61 anos.

O evento foi organizado pela Prison Fellowship, um grupo que promove estudos da bíblia e programas educacionais na prisão. Um porta-voz do grupo disse que a mensagem do filme seria boa para os detentos, porque “a vida toda de Cash foi uma mensagem de redenção”. A revista americana Premiere, especializada em cinema, acredita que Johnny e June deve render indicações ao Oscar para Phoenix, Witherspoon, o diretor James Mangold e ainda ser indicado para melhor filme.