Jader não convence mas ele nega renúncia e pode ser cassado

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 29 de agosto de 2001 as 17:16, por: cdb

O presidente licenciado do Congresso, senador Jader Barbalho (PMDB-PA), descartou nesta quarta-feira a hipótese de renunciar ao cargo. Jader afirmou que se o senador Jefferson Peres (PDT-AM),integrante da comissão do Conselho de Ética e Decoro Parlamentar do Senado, não se convenceu das explicações que prestou no depoimento desta quarta, é questão de “juízo dele”. “Não deixei uma indagação sem resposta e fiz tudo de forma documentada”, afirmou.

QUEBRA DE DECORO

O senador também disse que poderá assinar o requerimento de instalação da comissão parlamentar de inquérito (CPI) da corrupção no governo. O requerimento precisa de mais uma assinatura para completar o número regimental de senadores.

Ele classificou como “ridícula” a possibilidade de o atraso no encaminhamento do requerimento do líder do Bloco Oposição no Senado, José Eduardo Dutra (PT-SE), que pedia o envio ao Congresso dos documentos do Banco Central (BC) sobre o Banco do Estado do Pará (Banpará) resultar na abertura de processo contra ele por abuso de prerrogativa e poder.

NOVA INVESTIGAÇÃO

A questão levantada por Jefferson Peres, no entanto, não parece tão ridícula assim para o senador Romeu Tuma (PFL-SP), membro da comissão do Conselho de Ética que apura as denúncias contra o presidente licenciado do Senado, Jader Barbalho (PMDB-PA). Ele afirmou, também nesta quarta-feira, que vai encaminhar um pedido formal à Mesa Diretora da Casa para que sejam explicados os motivos que levaram a presidência a reter, por 90 dias, o requerimento apresentado pelo líder do bloco de oposição, José Eduardo Dutra (PT-SE), pedindo ao Banco Central que enviasse aos parlamentares uma cópia do processo de investigação dos desvios de recursos do Banpará.

O requerimento foi apresentado à Mesa Diretora no dia 5 de março, mas só foi despachado no dia 22 de junho. Se ficar provado que Jader Barbalho usou a autoridade de presidente do Senado para impedir a votação do requerimento fica caracterizado que ele quebrou o decoro e, portanto, os partidos de oposição encontram uma brecha para pedir a cassação do mandato do senador. Barbalho é apontado como um dos principais beneficiários dos desvios do Banpará, irregularidade comprovada nas investigações do Banco Central.