Jader divulga nota para colunista contra integrantes da Comissão de Ética

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 14 de agosto de 2001 as 20:06, por: cdb

O senador Jefferson Péres, um dos membros da comissão designada pelo Conselho de Ética do Senado para investigar denúncias contra Jader Barbalho, classificou uma nota publicada nesta terça-feira no “Jornal do Brasil” como uma manobra de “intimidação” do presidente licenciado da Casa.

A nota, assinada pelo colunista Ricardo Boechat, informa que Péres teria sido processado na Justiça Federal por apropriação indébita, quando dirigia, nos anos de 1970, a Companhia Siderúrgica da Amazônia. Boechat atribuiu a informação a Barbalho.

“Se Barbalho pretende sair do Senado, que saia com dignidade”, disse Péres, ressaltando que tem a vida pública e política transparente. “Aliás, sou quase fisicamente transparente”, acrescentou Péres, referindo-se à sua compleição física (o senador é magro).

Péres explicou que foi diretor da siderúrgica e que, na época, houve mesmo denúncia de desvio de recursos da Previdência dos funcionários da empresa. Péres confirmou que, juntamente com os demais membros da diretoria, foi incluído no processo que apurou as denúncias.

“Fui inocentado pela Justiça, pelo Procurador-Geral da República e pela Polícia Federal”, afirmou o senador, eleito pelo estado do Amazonas.

Investigações

A comissão especial do Conselho de Ética quer ter acesso, o mais rápido possível, aos relatórios do Banco Central sobre as investigações realizadas pela instituição nos casos de irregularidades no Banco do estado do Pará (Banpará).

“O Banco Central tem 30 dias para encaminhar suas conclusões ao Senado, mas poderá fazê-lo em 30 horas, o que seria bem melhor”, afirmou Péres.

O ex-presidente do Banco Central, Francisco Gros, que estava à frente da instituição quando Barbalho governou o estado do Pará, também será ouvido sobre o caso Banpará.