Já são 12 as vítimas do ‘Sindicato do Crime’

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 23 de junho de 2003 as 22:03, por: cdb

De acordo com o Jornal Nacional, as vítimas do Sindicato dos Motoristas de Ônibus da cidade de São Paulo, apelidado pela promotoria do Estado como “Sindicato do Crime”, já somam 12 sindicalistas.

De acordo com testemunhas ouvidas por reportagem veiculada nesta segunda-feira, as mortes de Severino José Barbosa, o Xuxa; Waldir Rizzo, o Articulado, e Josemir Gonçalves, o Bruce Lee, também estão ligadas a sindicalistas.

A onda de assassinatos teria começado há 11 anos, com a morte de Bruce Lee. Os motivos são muito parecidos: quase sempre são disputas de cargo no sindicato e briga por causa de confusão na distribuição de propinas.

O sindicalista Severino José Barbosa, o Xuxa, foi assassinado há um ano e meio e as investigações sobre a morte dele não tiveram êxito. De acordo com uma testemunha, a morte teria sido a mando de Severino Teotônio do Nascimento, o Titonho, braço direito do ex-presidente do Sindicato dos Motoristas de Ônibus de São Paulo, Edivaldo Santiago.

O motivo da morte teria sido uma discussão por causa da divisão de propina paga pela farmácia que prestava serviços para o sindicato. O valor seria de R$ 80 mil. Severino Teotônio, no entanto, já deveria estar preso na data em que foi assassinado. Contra ele, já havia um mandado de prisão por homicídio.

O sindicalista Waldir Rizzo, o Articulado, seria outra vítima do sindicato. Rizzo foi morto na periferia da cidade. De acordo com a testemunha, Rizzo foi assassinado pelo sindicalista Chico Rico. Josemir Gonçalves, o Bruce Lee, foi assassinado com três tiros, em 1992. De acordo, com testemunhas, José Carlos de Sena teria sido o mandante.

Os três acusados pelas testemunhas já se encontram presos por causa de acusações por outros crimes.