Itamaraty recomenda distância do Iraque

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 4 de fevereiro de 2005 as 19:00, por: cdb

O Itamaraty recomendou, em nota divulgada nesta sexta-feira, que os cidadãos brasileiros que pensam em viajar para o Iraque atentem para o fato de que o país, apesar das eleições elogiadas pelos Estados Unidos, ONU e comunidade européia, ainda é uma área de alto risco. O governo brasileiro não considera “aconselhável” a viagem para aquela região, “a não ser em caso de extrema necessidade”. Ainda na nota, o governo diz que continua mantendo gestões junto a vários países no sentido de encontrar solução positiva para o seqüestro do engenheiro brasileiro João José Vasconcellos Júnior, ocorrido no Iraque no final do mês passado, informa nota divulgada pelo Ministério das Relações Exteriores. Além dos contatos feitos pelo embaixador para o Oriente Médio Affonso Celso de Ouro-Preto, enviado para a região, a nota diz que outros contatos vêm sendo efetuados por embaixadas e representações brasileiras.

O governo aconselha que cidadãos brasileiros não viajem para o Iraque, “enquanto permanecer o quadro de alto risco que caracteriza a atual situação de segurança” no país.

A nota divulgada pelo Itamaraty é a seguinte:

“O Governo brasileiro continua envidando todos os esforços para encontrar solução positiva para o seqüestro do senhor João José Vasconcellos Júnior no Iraque.

Como é do conhecimento público, o Embaixador Extraordinário para o Oriente Médio, Affonso Celso de Ouro-Preto, vem mantendo contatos na Jordânia, onde se encontra no momento, Síria e Líbano. Outros contatos vêm sendo feitos por intermédio das Embaixadas e representações brasileiras dentro e fora da região. As gestões brasileiras têm incluído autoridades governamentais, entidades, indivíduos e organizações religiosas e de assistência humanitária do Brasil e de diferentes países.

Enquanto permanecer o quadro de alto risco que caracteriza a atual situação de segurança no Iraque, o Governo brasileiro não considera aconselhável que, a não ser em caso de extrema necessidade, os cidadãos brasileiros viajem para aquele país ou lá permaneçam”.