Itamar ofende FHC e diz que Temmer não é consenso

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 10 de agosto de 2001 as 19:22, por: cdb

“Mau-caráter, mistificador e homem ingrato”. Assim o governador de Minas, Itamar Franco, referiu-se ao presidente Fernando Henrique Cardoso, ontem, durante entrevista na Associação Comercial de São Paulo, ao comentar a sua decisão de não concorrer mais à Presidência do PMDB. As críticas se estenderam ao PMDB, partido que ele considera “muito pior, por aceitar esta prática”, referindo-se às investidas de FHC contra a sua candidatura à direção do maior partido da base aliada do governo.
– O presidente usa uma máscara, é um homem ardiloso, um homem falso, ingrato e está interferindo no PMDB – disparou.
Embora não tenha dito com todas as letras, Itamar pretende deixar o Partido: “Se o PMDB continuar como um apêndice do presidente da República, nós vamos meditar”, diz ele. E descartou inteiramente qualquer acordo com o deputado Michel Temmer para a sua permanência na legenda, com uma vaga garantida para concorrer à Presidência da República, contanto que apoiasse a escalada de Temmer até a direção nacional do PMDB.
– Este presidente não terá meu apoio, ele é um discípulo do presidente Fernando Henrique – protestou.
O governador mineiro também é cético em relação à existência de um nome capaz de unir as facções peemedebistas e, conseqüentemente, garantir a sua permanência no Partido, que detém um dos maiores espaços de tempo nos programas pré-eleitorais gratuitos. “Consenso no PMDB? Duvido. Pode até ser um anjo, que caia do céu”, ironizou.
Entre os partidos que disputam a preferência do governador, caso ele deixe o PMDB, estão o PDT, de Leonel Brizola, o PL e o PPS.