Israelenses matam três em Gaza

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 20 de outubro de 2003 as 11:19, por: cdb

Três palestinos morreram e cerca de vinte ficaram feridos nesta segunda-feira em quatro ataques aéreos israelenses realizados em poucas horas na cidade de Gaza. As três vítimas principais, entre elas dois ativistas do braço armado do Hamas, morreram quando helicópteros israelenses atacaram um automóvel que circulava pelo centro de Gaza. Segundo fontes do Hamas, os dois membros das Brigadas Ezzedin Al-Qassam que morreram são Khaled Al Masri e Iyad Fayez Al Hilu, ambos de 28 anos de idade.

Outras oito pessoas ficaram feridas nesse ataque, sendo quatro passageiros de outros veículos que circulavam perto do alvo. Um dos feridos, Marwan Al-Khatib, morreu enquanto era atendido no hospital.

No primeiro ataque realizado pela manhã, dois helicópteros de combate israelenses bombardearam uma casa suspeita de esconder um arsenal do Hamas. Doze pessoas ficaram feridas, entre elas duas crianças. O arsenal, localizado numa casa em construção e desabitada, estava nas imediações da residência do chefe de outro movimento radical palestino, a Jihad Islâmica, Abdala Shami, o que gerou uma primeira impressão de que ele seria alvo de uma operação de eliminação seletiva. Fontes do bairro de Sayaie, na zona leste de Gaza, onde ocorreu o primeiro ataque, confirmaram que a casa alvo do bombardeio escondia um depósito de armas do Hamas.

Na terceira ação israelense helicópteros dispararam vários mísseis, aparentemente contra um carro. De acordo com fontes palestinas, o bombardeio aconteceu perto da residência do líder do Hamas, Mahmud Zahar. Mais tarde, aviões bombardearam o centro da Faixa de Gaza, perto do acampamento de refugiados de refugiados Burech, asseguraram fontes palestinas. Não há notícias sobre mortos ou feridos.

Os bombardeios israelenses foram condenados pela Autoridade Nacional Palestina. A Liga Árabe convocou uma reunião extraordinária para amanhã, para examinar “a escalada da agressão israelense” contra o povo palestino, declarou o delegado palestino nessa instituição, Mohamed Sobeih.

Os ataques na cidade de Gaza ocorreram um dia depois de um comando palestino atacar uma patrulha israelense no povoado de Ein Jabrud, no norte de Ramalá (Cisjordânia), matando três soldados e ferindo gravemente um quarto. O exército israelense estabeleceu o toque de recolher em Ein Jabrud e vasculhou a região para tentar localizar os autores do ataque, reivindicado pelas Brigadas dos Mártires de Al-Aqsa, um grupo de resistência armada vinculado ao Fatah do presidente da Autoridade Palestina, Yasser Arafat.

O número de mortos desde que começou a Intifada, em setembro de 2000, chegou esta segunda-feira a 3.556, sendo 2.643 palestinos e 846 israelenses.