Israel permitirá que militantes palestinos exilados retornem

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 12 de fevereiro de 2005 as 11:41, por: cdb

Israel permitirá o retorno dos 56 palestinos que deportou em 2002 durante revoltas na Cisjordânia, incluindo militantes exilados no exterior após terem se refugiado em Belém, disseram oficiais neste sábado.

– Houve um acordo alcançado que, a princípio, diz que todos os palestinos deportados… retornarão para suas casas –  afirmou o ministro das Negociações, Saeb Erekat, à Reuters, acrescentando que o acordo deve ser concretizado dentro de duas semanas.

Uma autoridade israelense confirmou o acordo, dizendo que ele faz parte do cessar-fogo declarado pelo primeiro-ministro, Ariel Sharon, e o presidente palestino, Mahmoud Abbas, no encontro realizado no Egito, na terça-feira.

– Esses terroristas poderão retornar sob a condição de que se comprometam a abandonar a violência e viver sob supervisão da Autoridade Palestina –  disse a autoridade israelense.

Dentro do acordo de maio de 2002 para acabar com o impasse com militantes fugitivos que se refugiaram no local de nascimento de Jesus, Israel deportou 26 deles para Gaza e 13 para a Europa.

Outros 17 palestinos foram deportados da Cisjordânia para Gaza, ambos sob ocupação israelense, por estarem supostamente ligados a militantes que mantinham uma revolta havia quatro anos.