Israel permite entrada de 6.200 palestinos para trabalhar

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado domingo, 2 de novembro de 2003 as 20:14, por: cdb

Israel permitiu neste domingo que mais de 6.000 palestinos entrem para trabalhar no país. As duras restrições de liberdade de movimento foram relaxadas depois críticas vindas do próprio chefe do Exército israelense.

O país havia proíbido a entrada e a saída de palestinos das áreas ocupadas da Cisjordânia e da Faixa de Gaza depois que um atentado suicida matou 21 pessoas na cidade de Haifa.

Mas fontes políticas israelenses disseram que cresce a visão de que grupos militantes palestinos possam explorar o descontentamento nos territórios ocupados.

O tenente-general Moshe Yaalon constrangeu o governo na semana passada ao dizer para colunistas de jornais que os bloqueios, impostos após o início dos levantes há três anos, estavam levando mais palestinos à resistência violenta.

Até então, 150.000 palestinos trabalhavam em Israel.

– Somente 6.200 cruzaram hoje porque não sabiam se poderiam passar, mas amanhã haverá mais – disse Zainab al Ghunaimi, autoridade do ministério do trabalho palestino em Gaza.

Muitos períodos de alívio das restrições terminaram após ataques – como o ataque suicida de 4 de outubro em Haifa, que provocou o último bloqueio da Cisjordânia e da Faixa de Gaza.