Iraque vai investir mais US$ 2 bi em força de segurança

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 11 de janeiro de 2005 as 19:18, por: cdb

O premiê interino do Iraque, Ayad Allawi, anunciou que mais de US$ 2 bilhões adicionais do orçamento serão utilizados este ano para reforçar a segurança.

A declaração foi feita no dia em que mais dois ataques rebeldes mataram pelo menos 15 pessoas.

O dinheiro será utilizado no treinamento e na compra de novos equipamentos para a polícia e as Forças Armadas, que têm sido alvo direto da campanha dos insurgentes.

Com os novos recursos, Allawi acredita que o novo Exército iraquiano tenha a capacidade de recrutar e treinar 150 mil soldados (conta atualmente com 60 mil).

Nesta terça-feira, seis policiais morreram e vários outros ficaram feridos no que se acredita ser a explosão de um carro-bomba em frente a uma delegacia na cidade de Tikrit, terra-natal de Saddam Hussein.

No sul de Bagdá, sete iraquianos foram mortos em um ataque em uma estrada. E pelo menos duas pessoas morreram numa explosão na cidade de Samarra.

Violência

A violência é uma grande preocupação das autoridades americanas e iraquianas a poucos dias das eleições-gerais, marcadas para 30 de janeiro.

Os ataques acontecem um dia depois de o subchefe da polícia de Bagdá e seu filho terem sido mortos a tiros em uma emboscada.

“Precisamos equipar a polícia e o exército com armas modernas que vão permitir que eles protejam o país”, afirmou Allawi.

Nas últimas semanas, insurgentes têm realizado ataques quase diários às forças de segurança, enquanto líderes sunitas ameaçaram boicotar as eleições, a menos que as tropas americanas se retirem do Iraque.

Em outro incidente, 300 motoristas de caminhão – a maioria de nacionalidade síria – foram detidos por forças americanas no Iraque perto da fronteira com a Síria.

Os Estados Unidos não fizeram comentários, mas já haviam declarado que a Síria não está fazendo o suficiente para dar segurança à sua fronteira com o Iraque.