Iraque reforça presença militar nas fronteiras com Síria e Irã

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 14 de fevereiro de 2007 as 10:55, por: cdb

O governo do Iraque iniciou, nesta quarta-feira, o envio de tropas para as fronteiras do Irã e da Síria, em cumprimento à decisão de fechar as fronteiras do país com os vizinhos, acusados de enviar homens e armas para lutar contra a ocupação norte-americana no país. A ação iraniana e síria, segundo o governo, é um dos principais fatores para o ambiente de violência na capital.

Essa e outras medidas foram ordenadas por um decreto, que foi lido na televisão estatal pelo general-de-divisão Abboud Gambar, ao fim de mais um dia marcado por ataques na capital iraquiana. A série de ataques radicais seguiu pela madrugada.

Irã

O fechamento das fronteiras ocorre em meio às acusações dos Estados Unidos de que o Irã e a Síria estimulam a violência no Iraque. No domingo, o governo norte-americano mostrou a um grupo de jornalistas supostas provas de que o Irã estaria contrabandeando armas para grupo rebeldes xiitas. Teerã negou a acusação.

O fechamento das fronteiras também se dá em um momento em que aumenta o número de pessoas tentando deixar o Iraque por causa da violência, de acordo com dados divulgados pelo Alto Comissariado para Refugiados da ONU (Acnur). O escritório da agência na Síria informou ter registrado a entrada de mais de 5 mil refugiados iraquianos apenas no domingo e na segunda-feira.Pelas estimativas do Acnur, mais de 2 milhões de pessoas já deixaram o Iraque desde que o país foi invadido em 2003. A maioria foi para a Síria e o Irã, onde geralmente vivem em condições de extrema pobreza.

Toque de recolher

Entre outras medidas já em vigor está a suspensão das licenças para porte de arma em toda a capital iraquiana, com exceção dos membros das forças de segurança do Iraque e estrangeiras que atuam sob liderança dos Estados Unidos. Também voltou a vigorar um toque de recolher proibindo a circulação de pessoas durante a noite. O decreto autoriza o general a impor “as restrições necessárias em todos os lugares públicos, centros, clubes, organizações, sindicatos, empresas, instituições e escritórios para proteger cidadãos e pessoas que trabalham”.

– As forças de segurança serão autorizadas a bloquear ou realizar buscas em propriedades públicas ou privadas e terão o direito de impor restrições à circulação de indivíduos ou veículos – disse Gambar.

Milhares de soldados norte-americanos estão indo para Bagdá para ajudar as forças iraquianas na nova investida contra os militantes radicais. O presidente George W. Bush pretende enviar mais 21,5 mil soldados ao Iraque, mas enfrenta oposição dentro do Congresso.