Irã testa míssil que passa despercebido por radares

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 31 de março de 2006 as 14:49, por: cdb

Os Guardas Revolucionários do Irã testaram, nesta sexta-feira, com sucesso, um míssil de fabricação nacional que consegue passar despercebido por radares, afirmou um canal de TV estatal do país.

– O Irã testou com sucesso o míssil nacional Fajr-3 – disse Hossein Salami, um comandante dos Guardas Revolucionários.

O míssil foi testado como parte de jogos de guerra da Marinha que devem se estender por uma semana e que se iniciaram na sexta-feira. Os exercícios estão previstos para acontecer no golfo Pérsico e no mar de Omã. Modelos anteriores de mísseis com o raio de ação do Fajr foram descritos como sistemas de arma colocados em terra para uso contra navios.

– Esse míssil, que possui a capacidade de enganar radares, pode atacar vários alvos simultaneamente – disse Salami, acrescentando que o Fajr tinha acabado de ser desenvolvido.

Meios de comunicação estatais informaram que o míssil pertencia a uma “nova geração”. O Irã já disse antes ter testado com sucesso mísseis batizados como Fajr (amanhecer). O raio de alcance do novo míssil não foi divulgado, mas Salami afirmou que ele tinha uma capacidade tática e técnica maior do que seus similares, disse a TV estatal. Segundo o comandante, o Fajr não poderia ser atingido por foguetes antimíssil.

Autoridades iranianas não quiseram fazer comentários sobre o anúncio. Horas antes, oficiais da Marinha tinham dito que os jogos de guerra se iniciariam com o disparo de um míssil terra-terra Sahab-2, que, segundo especialistas, teria um raio de ação de 700 quilômetros. O almirante da Marinha Morteza Saffari afirmou que os jogos de guerra envolveriam mais de 17 mil soldados e 500 embarcações grandes e pequenas, disse a agência oficial de notícias Irna.

Os jogos de guerra da Marinha tinham por objetivo “dar mostras da força do sistema islâmico de defesa”, afirmou a agência de notícias. Diplomatas na Europa disseram neste mês que o Irã, atualmente envolvido em um impasse nuclear com potências ocidentais, estava intensificando o desenvolvimento de mísseis capazes de carregar ogivas nucleares. Os diplomatas, citando um relatório de órgãos de inteligência, afirmaram que o programa incluía planos para armar os mísseis Sahab-3, com raio de ação de 2.000 quilômetros, com as ogivas.

O Irã diz que seu programa nuclear visa apenas fins pacíficos. Os EUA e outras potências ocidentais acusam o país islâmico de tentar desenvolver bombas atômicas.