Irã rejeitou novo embaixador britânico

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 9 de janeiro de 2002 as 18:31, por: cdb

O novo embaixador da Grã-Bretanha no Irã teve sua nomeação para o cargo bloqueada pelo governo iraniano, segundo um jornal do país. De acordo com o diário iraniano Jomhuri Islami, a decisão de destacar David Reddaway para o cargo irritou as autoridades iranianas, que dizem que seu nome é inaceitável pelo fato de ele ser judeu e ter tido ligações com o serviço secreto britânico, o MI-6. Reddaway deveria assumir o posto deixado vago em dezembro por Nicholas Browne.

Fluente em farsi, a principal língua do Irã, Reddaway, que tem 48 anos, atuou antes em Madri, Nova Délhi e Buenos Aires. O Ministério de Relações Exteriores da Grã-Bretanha não comentou a reportagem do jornal iraniano.

Ainda de acordo com o diário, o governo britânico teria ameaçado rebaixar a importância de seu posto no Irã em represália à decisão do país. Se confirmado, o incidente pode ameaçar a melhora nas relações entre os dois países que começou desde que o fatwa – um decreto religioso – que ordenava a morte do autor Salman Rushdie foi cancelado, em 1998. Há quatro meses, Jack Straw tornou-se o primeiro ministro das Relações Exteriores britânico a visitar o país desde que ocorreu a revolução islâmica em 1979. Na ocasião, ele elogiou o que seria uma “nova era” na relação entre os dois países. Straw foi ao Irã em busca de apoio para a guerra ao terrorismo que os Estados Unidos lançaram após os ataques de 11 de setembro em Nova York e Washington.