Irã e Coréia ameaçam a paz mundial, dizem os alemães

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 18 de outubro de 2006 as 12:43, por: cdb

Os programas nucleares do Irã e da Coréia do Norte representam as maiores ameaças à paz mundial e podem provocar uma corrida por armas atômicas entre seus vizinhos, disse nesta quarta-feira o ministro das Relações Exteriores da Alemanha. Alemanha, França e Grã-Bretanha estão preparando uma proposta de resolução do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) para impor sanções contra o Irã devido à sua recusa de encerrar seu programa de enriquecimento de urânio. O Ocidente teme que as atividades de enriquecimento do país sejam destinados ao desenvolvimento de armas atômicas.

O Conselho de Segurança já impôs sanções contra a Coréia do Norte, que realizou um teste nuclear no dia 9 de outubro.

– Estas duas provocações podem despertar o desejo por armas nucleares entres seus vizinhos. Temos que impedir isso, e é por isso que não estamos no final deste conflito, mas sim no começo – disse o ministro Frank-Walter Steinmeier, em entrevista à revista semanal alemã Stern.

Mas o chanceler russo, Sergei Lavrov, em comentários divulgados pela RIA News, rejeitou a afirmação de que o Irã represente uma ameaça à paz mundial.

– É necessário agir no tema do Irã, mas a ação deve ser proporcionalmente direta com o que está realmente acontecendo. E o que está acontecendo é o que a AIEA (a agência nuclear da ONU) nos reporta. E a AIEA não está relatando a presença de uma ameaça à paz e à segurança – disse Lavrov, segundo a agência.

Em junho, Rússia e China juntaram-se a França, Grã-Bretanha e Alemanha, além dos Estados Unidos, na oferta de incentivos econômicos e políticos ao Irã em troca da suspensão dos trabalhos de enriquecimento de urânio. Mas o Irã, que afirma que suas ambições nucleares são limitadas à geração pacífica de energia, se recusa a suspender o processamento de urânio. Steinmeier reiterou que os incentivos continuam sobre a mesa e “prometeu ao país uma saída para o seu isolamento”.